Da Polícia Civil

A Polícia Civil prendeu, na manhã desta segunda-feira (26), uma quadrilha especializada na falsificação de cervejas na capital. Cinco pessoas foram presas em flagrante, no bairro Campo do Santana, por policiais civis do 13° Distrito Policial de Curitiba (13°DP)

presostatuquara

Foto: Banda B

As investigações iniciaram depois que a polícia recebeu informações de que uma quadrilha envolvida com o esquema de falsificação de cervejas estaria atuando na cidade e nos municípios vizinhos.

Wellington Rodrigo Russo, 24 anos; Guilherme Luiz de Oliveira, 24 anos; Bruno Goldberg, 21 anos; Matheus Bernardes de Souza, 22 anos; e Geraldino Vatista dos Santos Junior, 46 anos; foram identificados pela polícia como integrantes do bando e detidos em flagrante no momento em que estavam no barracão, onde as mercadorias eram falsificadas.

De acordo com investigações, parte da quadrilha é do Estado de Goiás (GO) e vinha agindo em Curitiba e região há cerca de um ano. Eles residiam em uma casa anexa ao barracão. A polícia não descarta a possíbilidade dos suspeitos estarem agindo em todo o Brasil.

Informações apuraram ainda, que a associação criminosa comprava cervejas com um valor inferior e as falsificavam colocando rótulos de marcas conhecidas com um valor superior. Segundo o delegado Gerson Machado, do 13°DP, após a falsificação, o bando vendia as mercadorias aos comerciantes de Curitiba e região que  tinham ciência da irregularidade do produto.

“O lucro é muito grande pois eles compravam cervejas mais baratas e revendiam aos comerciantes caixas com garrafas já falsificadas. Mesmo sabendo que a cerveja era de origem irregular, os comerciantes vendiam esse produto com o valor de mercado com o preço das cervejas de marca conhecidas. Ou seja, o consumidor estava bebendo uma cerveja mais barata, pagando o preço de um produto mais caro”, explica do delegado.

A criminalística foi acionada no local, no qual, fará perícia nos produtos irregulares. Parte das mercadorias que estavam no barracão foi levada para análise. Os suspeitos foram autuados pelos crimes de estelionato, falsificação de produto alimentício e formação de quadrilha.

As investigações seguem com o objetivo de identificar os demais envolvidos da quadrilha, bem como, os comerciantes que participavam do esquema fraudulento. Todos os suspeitos permanecem à disposição da Justiça.