Da Redação

Os agentes penitenciários do Paraná fecharam o portão do Complexo Penitenciário de Piraquara (PEP), na região metropolitana de Curitiba, durante a manhã desta quarta-feira (14). O ato faz parte das mobilizações por melhores condições de trabalho, após a rebelião ocorrida no último domingo (11) em na Delegacia de Colombo, que resultou na fuga de dois presos e de um agente carcerário morto.

pep

(Foto: Arquivo/ Divulgação)

O fechamento do portão tem como intenção impedir a entrada de qualquer pessoa no local, inclusive visitas, advogados ou até mesmo de novos presos. A entidade promove a manifestação por ser contrária à decisão do governo do estado de, a toque de caixa, transferir 1,3 mil presos das delegacias para presídios do estado.

De acordo com o sindicato da categoria (Sindarspen), ao longo da tarde, o portão deve ser reaberto. A previsão é de que as atividades sejam normalizadas nesta quinta-feira (15). Até amanhã, os funcionários vão continuar as mobilizações dentro das unidades penitenciárias. O sindicato não descarta a possibilidade de marcar uma assembleia com os trabalhadores na semana que vem para definir os próximos passos. No final deste mês, deve acontecer uma reunião com o governo para uma discussão sobre o sistema previdência dos agentes.

A Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (Seju) informou que o governo irá seguir com a decisão de transferir os presos. Está prevista para esta quarta-feira (14) a chegada de 52 detentos ao complexo. Nesta terça (13), 52 detentos do 11º e 12º distritos foram levados ao local em Piraquara. De domingo até agora, 100 presos já foram transferidos.