Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento

Um professor de informática de 50 anos de uma Escola Municipal no bairro Abranches, em Curitiba, foi afastado das atividades nesta semana acusado pela Polícia Civil de abusar de pelo menos 15 alunas, menores de 14 anos, durante as aulas. Um pedido de prisão preventiva foi feito pela delegada Sabrina Alexandrino, do Nucria (Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes), mas negado pela Justiça.

“O juiz concedeu apenas a busca e apreensão na residência dele, o que realizamos ontem. O professor foi afastado das funções e está impedido de lecionar. Diante dos fatos, achamos que o ideal é que ele fosse preso, porque apesar de afastado é alguém que traz um risco à sociedade”, afirmou a delegada Sabrina em entrevista à Banda B nesta quinta-feira (19).

Para a delegada, não há elemento maior de prova do que a confissão de pelo menos 15 alunas do professor. “Acontecia dentro da sala de aula e na frente de outras crianças. Quando as alunas tinham dúvidas, o professor se abaixava, pegava nas partes íntimas das vítimas e ainda dava beijos no pescoço”, descreveu Sabrina.

Por fim, a delegada pediu mais agilidade por parte da justiça. “O caso chegou à tona porque as meninas não aguentavam mais a situação. O ideal seria ter ele preso, diante de todos os elementos. Vamos aguardar por isto. Ele será ouvido por nós novamente nos próximos dias até que chegue ao fim o inquérito policial”, concluiu.

O nome da escola municipal não foi informado pelo Nucria. A Banda B segue acompanhando o caso.