Por Luiz Henrique de Oliveira e Bruno Henrique

arma e crackRevólver e crack apreendidos nas primeiras horas da operação (Foto: Divulgação)

O isolamento e congelamento total da Vila Torres, no bairro Prado Velho, em Curitiba, já completa doze horas. Até o fim da manhã deste domingo (9), a Polícia Militar (PM) deteve três pessoas e apreendeu 89 pedras de crack e um revólver calibre 38 com quatro munições prontas para serem deflagradas. O comando da PM afirma que a operação de congelamento, que se dá pelos dois casos de assassinatos de crianças na região em uma semana, não tem hora para acabar.

“Nos foi determinado o isolamento e congelamento total da área, de acordo com a decisão do comandante do 12° Batalhão, o tenente Cantador. De madrugada, foram apreendidos as pedras de crack e também o revólver com um jovem que é morador no bairro Guaíra. Duas mulheres que estavam com ele também foram encaminhadas ao Centro de Atendimento Integrado ao Cidadão, o Ciac-Sul”, explicou à Banda B o cabo Bezerra, da PM.

Todas as pessoas que entram e saem da Vila estão sendo revistadas. “Quem passa pelo bloqueio é revistado e quem diz ser morador tem que dar o R.G e no caso de entrar com carro a placa também é verificada. Crianças que não tem nada a ver com essa guerra de tráfico estão morrendo e alguma coisa precisa ser feita”, disse o cabo.

Já há algum tempo a Vila das Torres vive uma “guerra” entre duas gangues, a Turma de Cima e a Turma de Baixo, que aterrorizam os moradores e aumentaram brutalmente o número de crimes na região. Além das duas crianças baleadas, uma de sete anos segue em estado grave na Universidade de Terapia Intensiva do Hospital do Trabalhador.

Notícias Relacionadas:

Após morte de segunda criança em uma semana, PM determina bloqueio total da Vila das Torres

Menino de 12 anos morre e menina de 7 é baleada no rosto em atentado na Vila das Torres

Suspeito de matar menino de 7 anos na Vila Torres por dívida é preso e reconhecido por testemunhas