Por Marina Sequinel e Flávia Barros

Quadrilhas usavam chip para alterar as bombas de combustíveis. (Fotos: Flávia Barros – Banda B)

Seis presos da Operação Pane Seca, que investiga fraudes em postos de combustíveis, foram liberados nesta quinta-feira (30), segundo informações divulgadas em entrevista coletiva da Secretaria de Segurança Pública do Paraná (Sesp-PR). Apenas duas pessoas continuam detidas, mas devem ser soltas amanhã (31), e outras duas estão foragidas.

De acordo com o secretário Wagner Mesquita, na segunda fase da operação, deflagrada nesta quarta, foram cumpridos 20 mandados, 11 de busca e apreensão em Curitiba, região metropolitana e outras regiões do Paraná. “Em Maringá, nós apreendemos R$ 154 mil em dinheiro, dentro de um balde, e R$ 2 milhões em cheque, oriundos da fraude em postos de combustíveis”, disse ele.

A operação fechou nove postos de combutíveis localizados em Curitiba e na região metropolitana. Ainda relacionado ao caso, a Polícia Civil investiga o assassinato do fiscal Fabrizzio Machado da Silva, de 34 anos, que era presidente da Associação Brasileira de Combate a Fraudes de Combustíveis (ABCF). Ele foi morto no último dia 23 na frente de casa no bairro Capão da Imbuia.

“Considerando a importância da ABCF e o reflexo disso na investigação, nós aceleramos as prisões e buscas na operação. Que a morte do fiscal tem ligação com o trabalho dele, nós temos certeza, seria ingenuidade dizer que não. Apenas ao final, no entanto, é que poderemos confirmar se o crime tem a ver diretamente com a Pane Seca”, comentou o secretário.

Sobre a denúncia de que policiais estariam envolvidos no caso, Mesquista respondeu que “qualquer informação dessa natureza será investigada de maneira objetiva”.

Investigações da morte do fiscal

O delegado-geral da Polícia Civil, Júlio César Reis, disse que ainda é cedo para estabelecer uma linha de investigação mais concreta sobre a morte do fiscal. “Desde a ocorrência do crime, a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa [DHPP] tem trabalhado com ênfase para esclarecer o delito. O homicídio foi planejado, de maneira complexa, e nós temos uma equipe bem qualificada que dará prioridade ao caso”.[

Postos fechados

Veja abaixo a lista dos postos lacrados por determinação judicial:

Curitiba

Posto Master Tingui – Rua Monteiro Tourinho; N. 110

Posto Varejista Itaipu – Av. Presidente Kennedy ; N. 3374

Posto Karwell Petroleo e Participações Ltda – Av. Victor Ferreira do Amaral; N. 2628

Posto GRC Comércio de Combustíveis – Rua Doutor Leão Mocellin, N. 28

Posto JPS – Rua Cid Marcondes de Albuquerque, N. 2357

Auto Posto Midas Uberaba – Rua Capitão Leônidas Marques, N. 2199

São José dos Pinhais

Posto Via Aeroporto – Av. Rocha Pombo, N. 3413

Colombo

Posto Comércio de Combustíveis RUBI – Rodovia da Uva, N. 1832

Posto Comércio de Combustíveis Colina – BR 116, KM 83, s/n

Vídeo

Confira abaixo entrevista do delegado Guilherme Rangel, da Delegacia do Consumidor, à repórter Flávia Barros da Banda B. Ele mostra como as quadrilhas agiam para fraudar os combustíveis: