A Prefeitura de Curitiba dará início nesta semana a uma auditoria na Urbs, empresa que gerencia o transporte coletivo e o uso comercial de equipamentos urbanos; no Fundo de Urbanização de Curitiba (FUC), exclusivo do transporte coletivo, e nos contratos com os três consórcios que fazem a operação do transporte coletivo em Curitiba.

“Vamos iniciar a auditoria na Urbs nos próximos dias, um trabalho que pode durar por alguns meses, mas que é essencial para dar transparência e clareza às ações da empresa”, afirmou o prefeito Gustavo Fruet durante solenidade no Palácio Iguaçu quando foi oficializado o convênio entre Urbs e Comec (Coordenação da Região Metropolitana) que garante a integração e afasta o risco de aumento na tarifa do transporte metropolitano integrado de 13 municípios vizinhos.

Ao anunciar o início da auditoria na Urbs o prefeito também pediu que o governo do Estado licite o transporte metropolitano integrado uma vez que as 18 empresas de ônibus cuja operação é gerenciada pela Urbs são contratadas pelo governo do Estado. A licitação, que só pode ser feita pelo governo estadual, é essencial, disse Gustavo, para dar clareza aos contratos.

No caso da Urbs, explicou, a auditoria vai alcançar todos os contratos, números e procedimentos. “Não se trata de uma caça às bruxas, mas de verificar, sempre com muita responsabilidade, com serenidade, o que vem sendo feito ao longo dos anos, corrigir o que precisa ser corrigido e garantir total transparência na atuação da empresa”, afirmou.

A auditoria anunciada pelo prefeito complementa outras medidas que já estão em andamento na empresa. É o caso da Comissão de Análise da Tarifa que reúne representantes de diferentes setores da sociedade – entre eles Ministério Público e Câmara de Vereadores. A comissão vem se reunindo há dois meses na Urbs e dentro de 30 dias deverá apresentarum lequede sugestões para melhoria do transporte e redução de custos do sistema, além de garantir mais transparência e maior participação da sociedade, a começar pela reativação do Conselho Municipal do Transporte.

Outro ponto importante neste processo, explicou o prefeito, é a reestruturação da Urbs, já iniciada, com a extinção de uma diretoria e eleição de novos diretores. O próximo passo será a implantação de um novo organograma, com readequação de funções o que deverá implicar na redução de 20% dos cargos de gerência. No total, a reestruturação deverá representar uma economia de R$3 milhões no ano.

Criada há 50 anos com a função de atuar em projetos de desenvolvimento urbano, a Urbs – Urbanização de Curitiba S/A gerencia atualmente em torno de 1,3 mil contratos. Além do transporte coletivo, que passou a ser gerenciado pela empresa na década de 80, a Urbs tem sob sua responsabilidade contratos de locação, concessão ou permissão de uso de equipamentos públicos, como Rua 24 Horas, Centro de Eventos do Parque Barigui, lojas e boxes em terminais de transporte, Rodoferroviária, ,Mercado Central da Matriz, Shopping Popular, bancas de jornais e floriculturas em ruas e praças da cidade,entre outros. A empresa também é responsável pelo gerenciamento e fiscalização do transporte comercial, o que inclui fretamento (vans), táxi e transporte escolar.