Desde que foi eleito no dia 16 de janeiro para presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec) o prefeito Luizão Goulart (PT), de Pinhais, vive um clima de preocupação. Segundo o prefeito, o governador Beto Richa (PSDB), seu rival político, quer a todo custo tirá-lo do poder. Em entrevista à Banda B, nesta sexta-feira (29), Luizão atirou contra o tucano: “Quer destruir e não construir”.

Luizão foi eleito para a Assomec em função de sua idade depois de empatar em número de votos com o prefeito Aldinei Siqueira (PSD), de Almirante Tamandaré. Cada um teve 14 votos e Luizão foi eleito porque tem 51 anos enquanto Siqueira tem 48.

A eleição no órgão, que defende o interesse dos 29 municípios da região metropolitana, foi apontada como uma prévia das eleições de 2014 entre Gleisi Hoffman (PT) e Beto Richa. Como o petista venceu, muitos apontaram esta como a primeira derrota de Richa, já que apoios políticos importantes foram ganhos por Gleisi.

Segundo o prefeito de Pinhais, reeleito com mais de 90% dos votos, Richa está tomando uma atitude equivocada. “É um despropósito muito grande o que ele está fazendo. Temos que nos articular para construir e não para destruir. O que eu quero é fazer reuniões com os prefeitos e buscar apoios, deixando a política de lado. Nem o governador vai ganhar com isto”, afirmou.

O petista também criticou a criação nesta semana da Associação dos Municípios da Região Norte Metropolitana de Curitiba (Amunorte). “Sem o menor sentido. É novamente algo político que em nada vai contribuir, mas só atrapalhar”, reclamou.

A Amunorte é presidida por Siqueira, que perdeu a Assomec para Luizão, e tem como membros os 11 municípios do norte da região metropolitana: Adrianópolis, Almirante Tamandaré, Bocaiúva do Sul, Campo Largo, Campo Magro, Cerro Azul, Colombo, Doutor Ulysses, Itaperuçu, Rio Branco do Sul e Tunas do Paraná.