Da SMCS

Um homem foi flagrado pichando uma propriedade particular na manhã desta sexta-feira (12), no bairro Campo de Santana, na região sul da cidade. Ele foi detido pela Guarda Municipal de Curitiba e encaminhado à Delegacia do Meio Ambiente. Este foi mais um dos casos nos quais uma denúncia feita pela população resultou em flagrante e detenção do pichador.

GUARDA

Foto: Divulgação SMCS

Desde o início do ano, a população de Curitiba denunciou 1.283 casos de pichação a imóveis públicos e particulares da cidade, através do fone 153 da Guarda Municipal. O resultado foram 189 detenções em flagrante.

“A pichação é um crime ambiental, por isso necessita da união de várias frentes do poder e também da sociedade para prevenir e combater, em proteção ao patrimônio”, afirma o diretor da Guarda Municipal de Curitiba, Cláudio Frederico de Carvalho.

O aumento no número de denúncias já é quatro vezes maior do que no mesmo período do ano passado. Em 2013, apenas no mês de maio, foram registradas 220 denúncias, quando a média mensal costumava ser de 50. Nos primeiros 11 dias deste mês de julho, a Guarda Municipal já recebeu 65 denúncias, que resultaram em dez flagrantes e detenções.

Do total de 189 autuações realizadas desde o início da campanha, 99 infratores são adolescentes. A pichação é um crime previsto no artigo 65 da Lei de Crimes Ambientais, cujo flagrante prevê pagamento de multa administrativa de R$ 714,20.

Além da multa, os menores de idade cumprem pena alternativa e os maiores são encaminhados à delegacia do Meio Ambiente e ao Juizado Especial Criminal. Os infratores também ficam impedidos de participar de concurso público municipal pelo período de dois anos.

Para os adolescentes detidos em flagrante, a participação em uma palestra é uma das medidas socioeducativa impostas. Em média, cada um deles cumpre 80 horas de atividades, o que pode incluir a limpeza e pintura de imóveis pichados, entre outras tarefas.