Redação

Cinco policiais militares suspeitos de comandar uma quadrilha especializada em roubos e ataques a caixas eletrônicos em Curitiba e região metropolitana foram soltos na última quarta-feira (12) pela Justiça do Paraná. Apenas um dos policiais suspeitos continua preso. A informação foi confirmada pela Polícia Militar (PM) na manhã desta sexta-feira (14). A prisão preventiva, de cinco dias, não foi prorrogada ou levada à temporária e, por isso, culminou na saída deles na quarta-feira (12).

Os policiais suspeitos foram presos na sexta-feira passada (7) pelo Comando de Operações Especiais (Cope) da Polícia Civil após oito meses de investigação. O delegado do Cope, Luiz Alberto Cartaxo, que comandou as operações foi proibido de dar novos detalhes à imprensa após pedido de intervenção jurídica do advogado dos suspeitos. Não há informação do motivo de um deles, apenas, ter continuado preso.

Durante as investigações, várias informações foram levantadas sobre a participação de policiais do esquema da chamada Gangue da Dinamite. Entre as ações que levaram o Cope até a quadrilha está o confronto dos bandidos com policiais em Rio Branco do Sul no dia 11 de outubro. Neste caso, o irmão de um dos policiais militares, André Kubis da Silva, foi preso logo após ser baleado. Outro crime com envolvimento da quadrilha está uma tentativa de arrombamento ocorrido em Três Barras, no norte de Santa Catarina, na qual três pessoas morreram e cinco pessoas foram presas. Neste caso, Bruno Vaz Pedroso, vulgo Bolacha, foi baleado e está na UTI.

Segundo o secretário de Segurança Pública, Leon Grupenmacher, um dos presos trabalhava para a Central de Operações Policias Militares (Copom) e repassava informações erradas para as equipes de plantão enquanto a quadrilha agia em outro ponto da cidade. “O principal problema neste caso é que os 22 acusados vão responder pelo mesmo crime que um ladrão de galinha, mas a formação de quadrilha e o uso dos explosivos podem aumentar a pena deles”, disse.

Calmaria

Os caixas eletrônicos tiveram um período de calmaria desde a última sexta-feira (7). Foram seis dias sem nenhuma ocorrência de explosão de caixa eletrônico e a volta aos ataques aconteceu na madrugada desta quinta-feira (13). Segundo a Polícia Militar (PM), caixas eletrônicos da Caixa Econômica Federal (CEF) e do Banco do Brasil (BB) foram explodidos dentro do hipermercado Extra, no bairro Alto da XV, em Curitiba.

Notícias relacionadas:

Após quase uma semana de trégua, ‘Gangue da Dinamite’ explode caixa eletrônico