Por Elizangela Jubanski e Bruno Henrique

policial-morto

Soldado tinha dois filhos e era policial há 10 anos. Foto: Bruno Henrique/Banda B

Um policial militar foi baleado na cabeça no início da tarde deste sábado (17), no bairro Umbará, em Curitiba. João Edgar Fernandes, 37 anos, levou um tiro de um revólver calibre 38 de uma dupla de bandidos que anunciou um assalto antes do disparo. O policial estava dentro de uma autopeças e teria esboçado reação de sacar uma pistola que levava na cintura. Ele morreu na hora com dois tiros na cabeça. A dupla está sendo procurada pela polícia.

Por volta das 13h45, o policial militar estava em frente a uma autopeças, na rua Noé  Negrello, trocando o óleo do veículo dele. Depois de alguns minutos, já dentro do estabelecimento, dois homens entraram no local e deram voz de assalto. O dono do estabelecimento e a mulher estavam ao lado do policial. De acordo com depoimento deles, o policial esboçou reação ao colocar a mão na cintura. Fernandes, então, levou dois tiros na cabeça e morreu na hora. A dupla fugiu em um veículo escuro. Informações de testemunhas apontam que carro dos criminosos era um Fiat Palio com rodas cromadas. De acordo com o aspirante Ricardo Martins, os homens eram altos e morenos. “O crime está sendo levado como latrocínio porque o soldado teria esboçado reação mediante ao assalto”, disse.

O policial era soldado da 4ª Companhia do 13º Batalhão da Polícia Militar (BPM) e há 10 anos fazia parte da Polícia Militar. Ele tinha dois filhos e estava no dia de folga. O corpo do policial será encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba.

Câmeras de seguranças de casas e comércios estão sendo levantadas pela equipe de investigadores da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos. Eles trabalham com a hipótese de latrocínio.