Redação

Operação Conde Baracca aconteceu em 2015. Foto: PMPR

A 8ª Vara Criminal de Curitiba e Região Metropolitana condenou dois policiais militares e mais oito pessoas a penas de prisão e multa. O Juízo também determinou o perdimento de bens (veículos e armas) e a perda do cargo dos policiais.

Investigados pelo Gaeco, com o apoio da Polícia Militar, em 2015, os dez réus foram denunciados por associação e tráfico, corrupção ativa e passiva e posse ilegal de armas. A base de atuação do grupo – que agiu de maio a setembro de 2015 – eram os bairros Xaxim e Boqueirão, em Curitiba.

Por responderem por mais crimes, os policiais tiveram penas maiores. Um foi condenado a 42 anos, dez meses e 15 dias de prisão, além de 3.281 dias-multa. Outro recebeu pena de 29 anos, sete meses e 15 dias de prisão, além de 2.312 dias-multa. Cada dia-multa corresponde a cerca de R$ 26 (1/30 do salário mínimo da época), que devem ser atualizados quando do pagamento.

Além das multas aplicadas a todos, o líder da quadrilha foi condenado a 21 anos de reclusão, e seu comparsa mais próximo teve pena de 17 anos, quatro meses e 15 dias. Uma mulher que usava o próprio estabelecimento para o tráfico foi condenada a 22 anos de reclusão. Os demais participantes tiveram penas entre 5,5 e sete anos.

Ainda cabe recurso da sentença. Dos dez condenados (sete homens e três mulheres), seis estão presos, incluindo os dois policiais militares, e quatro poderão recorrer em liberdade.

Notícias relacionadas:

Policiais militares presos em megaoperação eram fornecedores de drogas a traficantes de Curitiba