Por Marina Sequinel e Denise Mello

Um empresário de 44 anos entrou em contato com a Banda B para denunciar um estelionatário. Segundo ele, com os dados da sua identidade, o suspeito obteve uma carteira falsa da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e cheques fraudados para enganar os comerciantes de Curitiba.

Suspeito mostra carteira falsa da OAB para comerciantes. (Foto: Reprodução)

“Eu nem sou advogado e essa pessoa fez um documento como se fosse defensor público, com o meu RG, CPF e data de nascimento, apenas com a foto dele. Ele passou cheques em uma loja de bebidas e também de artigos de academia. Na semana passada, esse homem ainda tentou fazer portabilidade do meu telefone para outra operadora, com o plano mais caro que tinha. Eu tive que ir até lá e eles me mostraram a cópia de um documento usado pelo homem, com uma foto dele. A imagem, inclusive, bate com aquelas gravadas em uma das lojas prejudicadas por ele. Com isso tudo, a minha vida virou um inferno e pior que eu não tenho muito o que fazer”, contou a vítima em entrevista à Banda B nesta terça-feira (14).

O empresário ainda afirmou que não sabe como o criminoso teve acesso aos dados dele para fraudar os documentos. “Eu nunca perdi nada, nenhum cartão. Essa parte da história, para mim, é um grande mistério. Só soube que havia algo errado quando os donos das lojas entraram em contato comigo e eu respondi que nunca tinha ido até os estabelecimentos mencionados”, completou.

Sobre o caso, um dos vendedores da “Merci-aria Empório Batel”, que foi lesada pelo estelionatário na semana passada, também encontrou em contato com a reportagem. Segundo ele, o homem levou do local R$ 1,5 mil em bebidas, com um cheque fraudado.

“Ele estava de terno, era boa pinta, chegou em uma Hilux, não tinha como desconfiar. Disse que estava comprando as bebidas porque faria uma festa de lançamento de um barco dele e de um amigo. Primeiro, o homem tentou pagar no cartão, mas deu erro de leitura na máquina várias vezes. Depois, ele puxou um cheque e eu avisei que a gente não aceitava”, contou o vendedor.

O homem, no entanto, insistiu e mostrou uma carteira da OAB para confirmar que “era de confiança”. “Infelizmente, eu fui ingênuo e peguei o cheque. Só fui ver que a coisa estava estranha depois, porque os dados não batiam. Pesquisei e cheguei até o verdadeiro dono, que nos contou que teve os dados usados pelo criminoso”.

Polícia Civil

As vítimas registraram Boletim de Ocorrência e a Delegacia de Estelionato de Curitiba já está a par do caso. “Nós já recebemos também as imagens das câmeras de segurança da loja e vamos analisá-las. Agora os trabalhos continuam no intuito de localizar o suspeito. Lembrando que é muito importante que as pessoas tomem cuidado, principalmente nos locais onde colocam os dados, inclusive os sites de compra. Além disso, o comerciante também precisa ficar atento. Se desconfiar de qualquer coisa que seja, melhor não fechar negócio”, alertou.

Qualquer informação sobre o suspeito pode ser repassada à polícia por meio do número (41) 3261-6600.