Da Redação com Polícia Civil

Policiais civis da 3.ª Delegacia de Homicídios de Curitiba elucidaram, nos últimos dias, mais um homicídio ocorrido na Cidade Industrial de Curitiba (CIC). Estão identificados e presos três membros da quadrilha responsável pelo assassinato de Cléverson Sodré, de 29 anos, ocorrido na rua Emiliano Romani, no último dia 8 de março. Um envolvido no crime segue foragido.

homicidio-cic-080314-bandab1

A vítima foi abordada na garupa de uma moto e recebeu 13 tiros. (Foto: Roberto Romanowski – Banda B)

Segundo o delegado-titular da 3.ª DH, Danilo Zarlenga, Sodré tinha desentendimentos com criminosos da região e já havia sido alvo de tentativas de homicídios por dua vezes. Por isso, resolveu deixar a CIC e morar no bairro Cajuru. “No dia do crime, ele acabou tomando algumas doses de bebida alcoólica para ganhar coragem de voltar à CIC para ir até a casa de parentes. Os algozes o esperavam e no momento em que saía de moto na garupa do cunhado, Cristiano Nunes Souza, foi atingido por treze tiros”, explicou Zarlenga.

Sodré recebeu três tiros no peito, dois no glúteo, dois na virilha, dois nas costas, um na coxa esquerda, um na coxa direita, um na mão esquerda e outro tiro na lateral esquerda do tórax. Ele morreu na hora. Já o cunhado, Souza, foi atingido por um tiro no braço esquerdo e um no ombro direito, mas sobreviveu.

De acordo com o delegado, quem atirou contra a dupla foram Wendel Nascimento de Assis, de 21 anos, preso por policiais civis da 3.ª DH, em casa na Vila Sandra, no início do mês e Marlon Cesar Hack, 18, que está foragido. “Eles atiraram contra Sodré a mando do irmão de Hack, Marichal de Melo César, 27, que era quem tinha o desentendimento com a vítima. Ele também é responsável pelas duas outras tentativas de homicídio contra Sodré”, contou Zarlenga. O delegado destacou que César já estava preso no sistema penitenciário no dia do crime, por roubo e tráfico de drogas. Ele segue preso, mas agora com a conclusão desta investigação, também terá que responder pelas tentativas de homicídio anteriores e a morte de Sodré, e pela tentativa de homicídio contra Nunes.

Durante a investigação, os policiais também descobriram que Adelson Pereira dos Santos, 21, foi o homem que havia atirado anteriormente em duas oportunidades contra Sodré a mando de César. Santos está preso na Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV) por roubo de carro, mas também será indiciado e terá que responder agora também por mais essas duas tentativas de homicídio. “Quando Sodré morreu, a família dele tinha forte desconfiança de que Santos tinha envolvimento, já que a própria vítima havia contado a familiares que Santos havia disparado contra ele em duas oportunidades”, contou Zarlenga.

Notícia relacionada

Rapaz é morto com seis tiros em garupa de moto na CIC; piloto também foi baleado