Da Redação com Polícia Civil

Uma das maiores quadrilhas de tráfico de drogas da Grande Curitiba foi desmantelada pela Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) nesta quarta-feira (3). Após quatro meses de investigação, 17 pessoas foram presas e quatro automóveis (Sonic, Omega, Celta, Gol) utilizados para a venda de entorpecentes foram apreendidos. Além disso, com o grupo foram encontrados 4,5 kg de cocaína, 1.5 kg de crack, 2 kg maconha, avaliados cerca de R$ 300 mil.

Ao longo desse período, os policiais realizaram buscas e apreensão na residência dos suspeitos.

Prisões

No dia 5 de agosto, Telma de Souza Correia, 25 anos, e Jéssica Marques dos Santos, 20 anos, foram presas. Elas transportavam cerca de mil pedras de crack, um revólver e uma pistola em um Celta pertencente a “Diogo”, outro membro do bando.

Dez dias depois, a polícia prendeu mais sete suspeitos, identificados como Diego Júnior Gonçalves da Silva, o “Orelha”, 25 anos, Edicléia de Paula Fonseca, a “Di”, 21 anos, John Lenon Walter dos Santos, o “Tom”, 24 anos, Nilton Diogo Fernandes, o “Diogo”, 21 anos, Vanessa Araújo da Silva, a “Balão” ou Gorda”, 29 anos, Nayran Ribeiro dos Santos, 23 anos, e Nilson Aparecido Lopes, o “Cipó”, 41 anos. Durante as prisões deles foi encontrada grande quantidade de cocaína.

Para finalizar a operação, em 27 de setembro foram cumpridos mandados de prisão contra Cleiton Fabiano Bueno, 29 anos, Kelly Aparecida de Lima Alves da Paixão, 26 anos, Andressa Sabadin Giraldi de Souza, 36 anos, Rosangela Teodoro Pereira, 25 anos, além de membros da quadrilha que já estavam presos: André Cesar de Sena, o “Soweto”, 38 anos, Anderson Luiz de Souza, o “Black”, 36 anos, e Fernando Pereira da Paixão, o “Nativa”, 30 anos.

“Na mesma data, durante a realização dos mandados de busca e apreensão, foi presa em flagrante delito Dayane de Lima Santos, 24 anos, com maconha e crack prontos para comercialização”, contou o delegado titular do Núcleo Metropolitano da Denarc, Guilherme Rangel.

O delegado contou que Maurício Fernandes, o “Chocolate”, Marcia Pereira Ribeiro, a “Milk” e Geferson dos Santos da Silva, também membros da quadrilha, seguem foragidos.