Por Elizangela Jubanski e Bruno Henrique

09.07.13 JUSSARA

Perita confirma que garota não foi estuprada. Foto: Bruno Henrique/Banda B

A Polícia Civil começa a dar informações sobre a reviravolta do caso da morte da garota Tayná Adriane da Silva, 14 anos, morta na semana passada em Colombo, região metropolitana de Curitiba. O delegado-chefe da Divisão Metropolitana da Polícia Civil, Agenor Salgado, em entrevista à Banda B, disse que as investigações podem ter ido por outra linha.

“A polícia pode ter errado, sem dúvidas, mas não agiu de má fé. Dormi somente meia hora”, limitou-se a comentar o delegado, que acredita ter uma quinta pessoa envolvida no caso. O delegado-geral da Polícia Civil do Paraná, Marcus Vinícius Michelotto, vai participar de uma reunião com o delegado Salgado após a coletiva de portas fechadas.

Agora há pouco, a perita Jussara Joeckel, do Instituto de Criminalística, afirmou aos repórteres que a garota morta não sofreu nenhum abuso sexual. “Não há marcas de estupro ou abuso, nem fissuras”, voltou a afirmar.

Estão presentes o delegado Silvan Pereira, da Delegacia do Alto Maracanã, o delegado responsável pelo caso, Fabio Amaro, da Delegacia de Pinhais, um médico legista, um promotor de Colombo, representantes da Polícia Cientifica, uma delegada da Corregedoria e o delegado Rafael Viana, da Secretaria de Segurança Pública.