A Polícia Militar do Paraná (PMPR) recebeu nove acionamentos durante o jogo entre Atlético e Paraná, referente a terceira rodada do Campeonato Paranaense, que aconteceu no último domingo (17/03), às 16h30, no Estádio Durival Britto e Silva, na Vila Capanema, em Curitiba (PR). O policiamento contou com 500 policiais militares, nas partes internas e externas do estádio, além de 40 guardas municipais que ficaram espalhados pela cidade em pontos estratégicos.

As ocorrências foram registradas nas ruas Izaak Ferreira da Cruz no bairro Boqueirão, na Avenida Anita Garibaldi no centro da cidade, na rua dos Pioneiros no bairro Sítio Cercado, na Avenida República Argentina no bairro Portão, no terminal do Capão Raso, na Avenida República Argentina no bairro Capão Raso, no Terminal do CIC e na rua Pedro Gusso no bairro Cidade Industrial de Curitiba.

Em todos os acionamentos a Polícia Militar colheu todas as informações sendo em alguns casos necessário apenas dispersar os envolvidos, em outros foram feitas orientações, e apenas uma situação foi repassada para a Guarda Municipal.

“As equipes policiais do 20°BPM realizaram o policiamento na área interna e externa do estádio até o final da partida. Tivemos uma atenção especial aos terminais e eixos de deslocamento de transporte coletivo onde contamos com o reforço das unidades de área do 1° CRPM (12° BPM, 13° BPM, 20° BPM e 23° BPM)”, conta o major Dorian Nunes Cavalheiro, Comandante Operacional do 1°CRPM.

Segundo o major Cavalheiro, foram instalados pontos de bloqueios no acesso ao estádio, não sendo permitida a entrada de torcedores com camisas e faixas de torcida organizada. As duas torcidas foram acompanhadas, a Fanáticos foi escoltada da sua sede, bem como a do Paraná que veio por outro caminho para evitar contato com a torcida atleticana.

“Só permitimos a entrada no perímetro do estádio para quem estivesse com o ingresso na mão ou moradores que estivessem identificados. Para garantir uma melhor segurança contamos com o apoio do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), do Regimento de Polícia Montada (RPMon), do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTRan) e do Grupamento Aéreo Policial (GRAER)“, explica o major Cavalheiro.