Redação

Após um fim de semana de bloqueio total, a Vila Torres, no bairro Prado Velho, em Curitiba, a Polícia Militar (PM) liberou a passagem pelo local. Foram cerca de 30 horas de congelamento na região depois da morte de duas crianças em menos de uma semana por causa de brigas entre gangues. Todas as pessoas que entravam ou saíam da vila foram revistadas. Moradores ou apenas visitantes e familiares, todos.

Durante toda a operação, a polícia deteve três pessoas e apreendeu 89 pedras de crack e um revólver calibre 38 com quatro munições prontas para serem deflagradas. O comando da PM confirmou que a operação de congelamento foi necessária para manter a ordem e apreender ilícitos. Aqueles que passavam pelo bloqueio tiveram de apresentar documentos de identidade e placas de carros checadas.

Equipes do Batalhão de Operações Especiais (Bope), da Ronda Ostensiva de Natureza Especial (Rone) e da Ronda Ostensiva Tático Móvel (Rotam) participaram da operação, que contou com cerca de 100 policiais.

Já há algum tempo a Vila das Torres vive uma “guerra” entre duas gangues, a Turma de Cima e a Turma de Baixo, que aterrorizam os moradores e aumentaram brutalmente o número de crimes na região. Além das duas crianças baleadas, uma de sete anos segue em estado grave na Universidade de Terapia Intensiva do Hospital do Trabalhador.

Notícias Relacionadas:

Menino de 12 anos morre e menina de 7 é baleada no rosto em atentado na Vila das Torres

Suspeito de matar menino de 7 anos na Vila Torres por dívida é preso e reconhecido por testemunhas

Após morte de segunda criança em uma semana, PM determina bloqueio total da Vila das Torres