O jovem de 25 anos que foi espancado até a morte na manhã desta terça-feira (1º), Vila União, no bairro Uberaba, em Curitiba, não era advogado. O corpo de Tiago Vinicius Lopes Vasques foi encontrado no meio da rua na rua Miguel Passarin, a cerca de 100 metros do carro dele. A informação no local do crime era de que a vítima advogava, entretanto Tiago cursou apenas alguns períodos do curso e não terminou a faculdade. De acordo com o delegado chefe da Homicídios (DH), Rubens Recalcatti, a vítima foi morta possivelmente por envolvimento com drogas.

“Pegamos o Boletim de Ocorrência e ouvimos o pai e o irmão. Ele era uma pessoa do bem, trabalhava em uma empresa grande, mas a motivação provável até agora é que ele tenha morrido quando foi procurar drogas”, disse Recalcatti em entrevista à Banda B.

Crime

O corpo de Tiago foi encontrado por policiais durante um patrulhamento de rotina na Vila União. A princípio, os policiais imaginaram que o homem poderia ter sido vítima de um atropelamento devido a algumas marcas de pneus no local. Mas, ao examinar o corpo, constatou-se que ele foi vítima de espancamento com o uso de paus e pedras.

Havia marcas de sangue no carro de Tiago, uma Parati, e o veículo também estava com a lataria amassada. Pela leitura da cena do crime, a polícia acredita que a vítima começou a ser agredida ainda dentro do carro e que teria tentado fugir.