Redação com PF

esquema-selo-grande

Prejuízo gira em torno de R$ 3 milhões. Foto: PF

A Polícia Federal, com o apoio da Gerência de Segurança Operacional dos Correios, prendeu duas pessoas vinculadas a uma gráfica em Curitiba, responsável por um esquema que causou um dos maiores derrames de selos postais falsos em todo país. A operação aconteceu durante toda a semana e divulgada na noite de sexta-feira (11).

esquema-selo

Mais 2 milhões de selos foram apreendidos. Foto: PF

Somente nesta semana foram apreendidas aproximadamente 500 mil correspondências com selos falsos, apresentados em agências dos Correios prontas para despacho para todo o país. Durante as buscas realizadas na tarde de ontem foram apreendidas centenas de milhares de selos falsos, prontos para uso. De acordo com um levantamento preliminar, a gráfica tem sido responsável pela utilização de aproximadamente 2 milhões de selos falsos por mês, causando prejuízo à empresa pública da ordem de R$ 3 milhões, aproximadamente.

Os investigados causaram prejuízo não apenas aos Correios, mas também a diversos cidadãos que deveriam receber boletos de diversas naturezas, como o pagamento de planos de saúde e comunicações oficiais de instituições públicas, serviços obtidos através de contratos e licitações obtidas pela empresa.

As investigações continuam sendo realizadas pela Polícia Federal para a identificação dos demais envolvidos e mapeamento do prejuízo causado aos Correios e vítimas em todo o país.

Os investigados que estão custodiados na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, à disposição da justiça, responderão pelo crime especial previsto no artigo 36, parágrafo único, da lei 6.538/78 e artigos 297, 288 e 304 do Código Penal Brasileiro.