Um dos acusados pela morte da professora Renata Melo do Amaral, de 36 anos, e que acabou sendo solto por engano, continua sendo procurado pela Polícia Civil. Luiz Fernando Arcílio, 18 anos, havia sido detido uma semana após o crime, que aconteceu em Curitiba, e foi reconhecido como o autor do primeiro tiro, mas acabou saindo da cadeia devido a um erro do Sistema Penitenciário.

Juliano Cunha – Banda B

Renata foi morta no estacionamento de um brechó infantil no bairro Boa Vista durante o mês de novembro. Ela estava com o filho no colo e se recusou a entregar as chaves do veículo aos assaltantes, sendo vítima dos disparos.

Arcílio estava preso em Piraquara e a delegada Maricy Mortagua Santineli não soube dizer o erro eu resultou na soltura do acusado. “Infelizmente aconteceu esse problema, mas sempre lembramos que este homem é um bandido perigoso e que possuí várias passagens pela polícia, então quem puder nos ajudar a prender ele, pode passar qualquer informação”, disse.