Da Redação com PMPR

briga-torcidas1

Policiais precisam agir contra os torcedores (Foto: Danaê Bubalo – Banda B)

Ao todo sete pessoas, sendo dois adolescentes, foram encaminhadas ao Juizado Especial Cível Criminal (JECRIM) durante o jogo entre Coritiba e Corinthians pelo Campeonato Brasileiro na tarde deste domingo (3). O policiamento ficou a cargo da Polícia Militar do Paraná, por meio do 12º Batalhão de Polícia Militar (12º BPM), que contou com o apoio de demais unidades da corporação. O capitão Luis Fernando, do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), apontou que torcedores do Coritiba esperavam pelos visitantes, como se fosse uma tocaia planejada.

A partida aconteceu no Estádio Major Antônio Couto Pereira, no bairro Alto da Glória, em Curitiba (PR), capital paranaense.  De acordo com o oficial, oito ônibus e duas vans traziam os torcedores visitantes quando foram surpreendidos pelos torcedores do Coritiba que estavam com pedras e pedaços de paus. “Eles entraram em luta corporal e as equipes que faziam a escolta solicitaram apoio, sendo deslocado a Rondas Ostensivas de Natureza Especial (RONE), do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), e um helicóptero do GRAER (Grupamento Aereopolicial)”, conta o capitão Luis Fernando.

“Estes sete encaminhamentos foram feitos devido ao envolvimento dessas pessoas em rixas e algumas foram flagradas nas proximidades do estádio portando pedras e fogos de artifício. Tivemos uma situação na rua Itupava, antes do início da partida, onde torcedores do Coritiba aguardaram a chegada dos visitantes para iniciar um confronto”, explicou o capitão

“Os torcedores do Coritiba estavam aguardando a chegada dos visitantes para fazer provocar o tumulto, porém a situação foi contida. Durante a briga houve uma pessoa que sofreu ferimento na cabeça, acionamos o atendimento médico, mas ela se recusou a ser encaminhada ao hospital e foi embora”, concluiu o oficial do Bope.

Segundo o capitão, ao final do jogo os torcedores do Coritiba tentaram novamente um confronto contra os visitantes, desta vez na rua Ubaldino do Amaral, porém as equipes estavam a posto e não houve tumulto, sendo feita a dispersão das pessoas.

Notícia Relacionada:

Briga de torcida reúne 2 mil no Alto da XV e quebra-quebra termina com cinco detidos e ônibus destruído