Por Denise Mello e Daniela Sevieri

O dono de um cão pit bull foi salvo graças à valentia de seu animal. O homem, de 31 anos, que, segundo a polícia, estaria em regime semiaberto por ter sido acusado de homicídio, foi cercado por pelo menos dois homens na própria casa, na noite desta terça-feira (4). Ao ver que poderia ser morto, testemunhas disseram que ele atiçou o cão, que acabou salvando a vida dele. A família nega totalmente esta versão e disse que em nenhum momento o cão foi atiçado. Além disso, afirma que Camilo foi absolvido, no processo que respondia.

O ataque aconteceu no Jardim Jurema, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Uma testemunha, que viu o ataque, contou o que aconteceu. “A gente ficou sabendo que esses homens reconheceram a mulher da vítima e a seguiram até a casa deles. Quando chegaram, ele soltou o cachorro em cima deles, atiçando. Um deles foi mordido e o outro teve que gastar cinco balas no cachorro. Sobraram duas pro o rapaz, que foi socorrido e deve sobreviver. Na verdade, o cachorro salvou a vida dele”, disse a testemunha.

O morador foi atingido com um tiro no abdômen e outro nas nádegas. Ele foi encaminhado ao hospital e, segundo os socorristas, deve sobreviver. Já o cão foi levado até um pronto-socorro veterinário em estado crítico e pode não resistir.

Segundo o soldado Jeferson, da PM, atendeu a ocorrência, a principal hipótese é um acerto de contas. “A vítima saiu da cadeia há uns quatro meses e está em regime semiaberto. Ele também tem passagem por tráfico e porte de arma. Tudo indica que seja um acerto de contas, afirmou.

A família também nega as informações dadas pela PM, afirmando que ele foi absolvido dos crimes pelos quais havia sido preso. O caso está sendo investigado pela Delegacia de São José dos Pinhais.