Denise Mello e Luiz Henrique Oliveira

pf lava jato 1Operação Lava Jato foi deflagrada em 17 de março de 2014 – Foto: Arquivo

A Polícia Federal deflagrou hoje (14), a sétima fase da Operação Lava Jato, que investiga organizações criminosas responsáveis por desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro em grandes quantias. Foi decretado o bloqueio de aproximadamente R$ 720 milhões em bens pertencentes a 36 investigados, entre eles, empresários de diversos estados, responsáveis pelo desvio de dinheiro público em contratos firmados com a Petrobras. Um dos detidos nesta nova etapa é o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque. Preso em sua residência, no Rio de Janeiro, ele foi conduzido para a superintendência local da PF. Está foragido o doleiro Fernando Soares, conhecido como Baiano, que operava o esquema da mesma forma que Alberto Youssef, um dos primeiros a ser preso.

Ao todo, 300 policiais federais, com apoio de 50 servidores da Receita Federal, cumpriramm 85 mandados judiciais: 6 de prisão preventiva, 21 de prisão temporária, 9 de condução coercitiva e 49 de busca e apreensão nos estados do Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco, além do Distrito Federal. Entre os mandados de busca, 11 estão sendo cumpridos em grandes empresas.

lava-jatoEntrevista coletiva na sede da PF – Foto: Luiz Henrique/Banda B

De acordo com as primeiras informações fornecidas pelo delegado federal Igor Mario de Paula, em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira, até às 10 horas, dos 85 pedidos de prisão preventiva apenas quatro haviam sido cumpridos. Dos 21 de prisão temporária, foram cumpridos 14 e todos os de condução de coercitiva foram feitos. “Estamos com muita dificuldade para prender os empresários envolvidos porque muitos têm jatos particulares e conseguem se deslocar facilmente. Além disso, de certa forma, eles estavam esperando a segunda fase da operação e, por isso, dormiam em hotéis para dificultar uma eventual prisão. mas o cerco está fechado. Nenhum pode sair do país e logo todos estarão presos”, afirmou o delegado.

Os executivos com mandados de prisão pertencem a sete grandes empresas. “Ao todos são 14 grandes empresas, mas neste momento estamos promovendo as prisões de sete as quais reunimos maior número de provas com escutas autorizadas e provas contundentes de corrupção”, disse o delegado da PF.

Foi autorizado também o bloqueio integral de valores pertencentes a três empresas referentes a um dos operadores do esquema criminoso. Em Curitiba, ainda não foi promovida a prisão do empresário envolvido. O delegado não disse nenhum nome, apenas informou que o contrato suspeito de superfaturmento aqui na capital diz respeito a Repar (Refinaria de Araucária) e da sede paranaense da Refinaria Abreu Lima. Nenhum político está entre os que têm mandados de prisão nesta fase da operação.

Esta sétima fase é fruto da análise do material apreendido e dos depoimentos colhidos nas fases anteriores.

Os envolvidos responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de organização criminosa, formação de cartel, corrupção, fraude à Lei de Licitações e lavagem de dinheiro.

Todos os presos estão sendo encaminhados para a sede da PF em Curitiba e vão ficar no mesmo prédio que os envolvidos no esquema já presos, entre eles o doleiro Alberto Youssef.

Mais informações, segundo a PF, serão fornecidas no final do dia.

ENTENDA O CASO

A Operação Lava Jato foi deflagrada no dia 17/03 deste ano com o objetivo de desarticular organizações criminosas que tinham como finalidade a lavagem de dinheiro e a prática de crimes contra o Sistema Financeiro Nacional.

A Petrobras está no centro das investigações da operação Lava Jato, da Polícia Federal. O esquema, segundo a PF, foi usado para lavagem de dinheiro e evasão de divisas que, de acordo com as autoridades policiais, movimentou cerca de R$ 10 bilhões.

DISCRIMINAÇÃO DOS MANDADOS POR ESTADO

Foram cumpridos todos os 49 mandados:

– 02 em Recife/PE
– 01 em Jundiaí/SP
– 01 em Santos/SP
– 02 em Curitiba/PR
– 01 no Distrito Federal
– 11 no Rio de Janeiro/RJ
– 29 em São Paulo/Capital
– 02 em Belo Horizonte/MG

CONDUÇÃO COERCITIVA

Foram expedidos 09 mandados. No release desta manhã, a PF informou erroneamente que todos seriam cumpridos na capital paulistana. O número correto de conduções coercitivas por localidade é o seguinte: 03 em São Paulo/Capital, 01 em Jundiaí/SP, 01 em Recife/PE, 02 no Rio de Janeiro/RJ e 02 em Belo Horizonte/MG.

Dos 09 mandados, foram cumpridos 06, a saber:

– 02 em São Paulo/Capital
– 01 no Rio de Janeiro/RJ
– 02 em Belo Horizonte/MG
– 01 em Recife/PE

PRISÃO PREVENTIVA

Foram cumpridos 04 mandados, todos na capital paulistana.

PRISÃO TEMPORÁRIA

Foram cumpridos 13 mandados a saber:

– 06 em São Paulo/Capital
– 01 em Osasco/SP
– 01 em Santos/SP
– 04 em Rio de Janeiro/RJ
– 01 em Salvador/BA (este mandado estava previsto para ser cumprido em São Paulo/Capital).

Notícia relacionada:

Confira o nome dos foragidos e presos na sétima fase da Lava Jato

Jornal aponta nomes das empresas envolvidas em nova fase da Lava Jato