Redação com Sesp

Após cinco meses de investigação, a Divisão de Narcóticos da Polícia Civil (Denarc) deflagrou nesta quinta-feira (23) a Operação Delivery de combate a um grupo de traficantes cuja atuação consistia em fornecer vários tipos de entorpecentes, como cocaína, crack, maconha e ecstasy. O comércio era efetuado de várias formas, incluindo um disque-drogas, no qual o usuário telefonava para o ‘fornecedor”, que prontamente levava a droga até o comprador, utilizando-se de veículos como carros, motos e táxis.

Cerca de 70 policiais foram incumbidos de cumprir, em Curitiba e Região Metropolitana, 17 mandados de prisão e 24 de busca e apreensão. Dão apoio à ação agentes da Denarc, Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), do Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (Tigre), do Canil da Denarc, e da Guarda Municipal de Curitiba e de São José dos Pinhais.

Conforme diligências efetuadas ao longo dos vários meses de investigação comprovou-se a existência de duas organizações criminosas em que os investigados são associados em caráter estável e permanente, com o fim de praticar a comercialização de entorpecentes e outros delitos, como a exploração da prostituição, associação para o tráfico e porte ilegal de arma.

Os traficantes vendiam drogas em estabelecimentos comerciais, a uma médica que atuava na Unidade de Terapia Intensiva de um hospital da capital, e para garotas de programa, possuindo uma relação muito próxima com essas mulheres, fornecendo drogas para que elas revendessem a seus clientes.

As investigações mostraram que a venda de entorpecentes era feita também em troca de objetos roubados ou furtados. A entrega ocorria através de motoristas de táxi, carros e motos, no sistema delivery.

Mais informações serão repassadas em coletiva às 10h30 na Denarc.