Em entrevista à Banda B nesta quarta-feira (20), um parente de Bernadete Dolores Dulla Zella, de 43 anos, afirmou que o mandante do assassinato, João Carlos Soczk, de 43 anos, ex-marido da empresária, esteve no local do crime para lamentar a perda da dona da confeitaria Maggiore: “Ele apareceu lá chorando e dizendo que ela não merecia isto. Ainda se mostrava preocupado com a filha de seis anos, que ele próprio trancou durante o sequestro”, disse.

O parente, que pediu para não ser identificado, chamou o empresário de burro e disse que ele acabou com uma família. “O que ele fez é inacreditável. Acabou com uma família de maneira fria. É um cara burro, que não pensa nas consequências dos seus atos”, iniciou bastante emocionado. “Minha sogra nunca teve medo dele, antigamente ele fazia algumas agressões, mas depois de um determinado momento acabou”, complementou.

De acordo com o parente, a confeitaria estava no nome de Bernadete e, por isto, Soczk a pressionava para conseguir dinheiro. “Ele tinha o nome sujo e não estava mais na sociedade. Então ficava pedindo dinheiro e até mesmo produtos da confeitaria. Sempre foi assim, infelizmente”, concluiu.

Segundo o parente, a confeitaria volta às atividades nesta quinta-feira (21), ainda em luto pelo o que aconteceu a Bernadete.