Da Redação

Gilmar Yared, pai do jovem Gilmar Rafael Yared, que foi uma das vítimas do acidente envolvendo o ex-deputado Luiz Fernando Ribas Carli Filho, em maio de 2009, usou as redes sociais para desabafar nesta sexta-feira (14). Ele revelou que apenas agora viu as fotografias do corpo do filho, já que na época do acidente foi impedido de reconhecê-lo pelo irmão e perito, que quiseram lhe poupar do impacto.

gilmarGilmar Yared é uma das vítimas do acidente fatal (Foto: Arquivo Pessoal)

“Naquela madrugada do dia 7 de maio de 2009 estive no IML e não vi o corpo e o caixão havia chegado lacrado ao cemitério. Hoje, tive acesso as fotos quando pesquisava sobre o processo. Pela primeira vez vi a sua cabeça destruída, arrancada de seu corpo, um duro golpe passados cinco anos da tragédia. Como é que os desembargadores e ministros do Supremo conseguem dormir?”, disso ao pai, criticando o fato de do causador do acidente ainda não ter ido à Juri Popular.

Gilmar Yared não parou por aí. “Carli Filho nem multado foi cujo processo se arrasta sem nenhuma previsão de desfecho”, lamentou.

Após a decisão do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) de levar Carli Filho a júri popular, a defesa entrou com recurso para tentar modificar os termos. Por meio medida que está validada até o momento, ele responde por homicídio de dolo eventual (quando se assume o risco de matar), e não por homicídio culposo (quando não há intenção) pela Vara Comum de Trânsito. Até o momento não há previsão de quando o julgamento acontecerá.

Carli Filho é acusado de matar Gilmar Rafael Souza Yared e Carlos Murilo de Almeida em um acidente de trânsito em maio de 2009, no Mossunguê, em Curitiba. Segundo a acusação, ele dirigia embriagado e a 173 km/hora. Na ocasião, o Detran informou que o ex-deputado tinha 130 pontos em sua CNH por infrações de trânsito.

Notícias Relacionadas:

Yared divulga foto de ex-deputado Carli Filho na balada e gera revolta em rede social

Influência política”, diz Christiane Yared sobre novo adiamento do julgamento de Carli Filho