Foto: SMCS

 

As praças Tiradentes e Rui Barbosa foram alvo de operação policial na tarde desta sexta-feira (16). A ação, deflagrada de forma conjunta por equipes da Secretaria Municipal de Defesa Social e Trânsito e da Polícia Militar do Paraná, abordou pedestres e veículos, além de vistoriar estabelecimentos comerciais nas imediações, entre eles, um hotel de alta rotatividade.

Três pessoas foram detidas pelas forças policiais: dois homens por porte de drogas, encaminhados ao 12º Batalhão da PM para assinatura de termo circunstanciado, e um terceiro suspeito por receptação, levado à Central de Flagrantes da Polícia Civil.

“Mais uma vez, demonstramos a integração entre as forças policiais, para dar uma resposta e mostrar presença do poder público na região central da cidade, coibindo crimes como tráfico de drogas, furtos, roubos e receptação. A população quer saber de segurança, não interessa a cor da farda”, afirma o secretário municipal de Defesa Social e Trânsito, Guilherme Rangel.

A intenção de uma operação de saturação, como a deflagrada nesta tarde, é demonstrar presença policial de forma ostensiva na área determinada, conforme explica Rangel. “A atuação mais ostensiva da Guarda Municipal segue um anseio da população, que demonstra querer maior presença do efetivo, principalmente em regiões com grande circulação de pessoas”, diz ele.

A ação contou com efetivo da Guarda Municipal da Regional Matriz, do policiamento com motos, do Grupo de Operações Especiais (GOE) e do Grupo de Operações com Cães (GOC). Pela PM, o apoio foi com policiais do 12º Batalhão da PM e da Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu).

Da operação também participaram outros órgãos na vistoria dos estabelecimentos, como Superintendência de Trânsito (Setran), Secretaria do Urbanismo, Vigilância Sanitária e Corpo de Bombeiros, todos integrantes da Aifu. “Juntamos informações de denúncias recebidas pelo telefone 190, pelo 181 e pelos setores de inteligência dos órgãos envolvidos para, de maneira integrada, dar uma resposta no serviço de hoje”, acrescenta o coordenador da Aifu, major Olavo Vianei Francischett Nunes.