Da Redação com MP-PR

A operação “secreta” do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) deflagrada na manhã desta terça-feira (5), entre outros, em um prédio comercial do bairro Juvevê, em Curitiba, terminou com oito pessoas presas. De acordo com o Ministério Público do Paraná (MP-PR), a Operação Tarrafa foi um trabalho da 1ª Promotoria de Justiça de Paranaguá e faz parte das investigações sobre os desvios de indenizações destinadas a um grupo de pescadores do Litoral do Estado.

gaeco-des

Foto: Bruno Henrique – Banda B

Pela manhã dez policias invadiram o edifício Antares LM, localizado na Avenida João Gualberto, em frente a estação-tubo Moisés Marcondes.

Até o início desta tarde, foram cumpridos oito mandados de prisão e nove mandados de busca e apreensão em empresas e residências situadas em Paranaguá, Curitiba, Antonina, Guarapuava e Ponta Grossa. Também foram executadas 13 conduções coercitivas (pessoas levadas para prestar depoimento, mas não estão detidas).

Entre o material apreendido, durante a operação, estão documentos, computadores e telefones celulares. Com três presos ainda foram encontradas armas de fogo, com as autorizações de porte vencidas.

A investigação, conduzida pela 1.ª Promotoria de Paranaguá, foi iniciada em maio deste ano. Ela apura a existência dos crimes de apropriação indébita de valores de pescadores, corrupção passiva e lavagem de dinheiro, envolvendo contadores, advogados, administradores de empresa, funcionários públicos e um diretor de associação de pescadores.

Notícia Relacionada:

Policiais do Gaeco invadem prédio no Juvevê em operação secreta