Por Elizangela Jubanski e Juliano Cunha

Uma mulher de 38 anos mentiu para o ex-marido que tinha sido sequestrada e estava sendo mantinha refém por bandidos na tarde desta quinta-feira (22). O resgate de R$ 7.500, segundo o Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), não foi pago imediatamente, então, ao lado de outra mulher e de dois comparsas, o grupo decidiu assaltar dois postos de combustíveis na região metropolitana de Curitiba. Há hipótese de que eles estavam devendo para traficantes e, por isso, estariam ‘desesperados atrás de dinheiro’, segundo o capitão Krainski, supervisor do BOPE.

As duas mulheres foram presas depois dos assaltos, que aconteceram por volta das 19 horas. Além delas, um adolescente de 16 anos foi apreendido por participar do assalto. Os três foram reconhecidos pelas vítimas e um quarto assaltante conseguiu fugir com uma arma e com o dinheiro do roubo. O adolescente foi levado a Delegacia do Adolescente.

Por volta das 14 horas, Tatiana Viana, de 38 anos, entrou em contato com o ex-marido para informar que ela tinha sofrido um sequestro e estava sob a mira de bandidos. O resgate era de R$ 7.500 e precisava ser pago imediatamente. O ex-marido dela, que tem a guarda dos filhos do casal, comunicou a polícia. A denúncia mobilizou uma equipe do TIGRE durante toda a tarde.

Como o resgate não aconteceu, o primeiro assalto aconteceu às 18h30 no Posto Coyote, na Rodovia da Uva, em Colombo. O segundo aconteceu, logo em seguida, em outro posto na cidade de Almirante Tamandaré. O trio foi detido durante a fuga pela Rodovia dos Minérios, no bairro Abranches, em Curitiba. Alexsandra dos Santos Pedroso, 20 anos, e Tatiana foram presas em flagrante.

Para o capitão Krainski, supervisor do BOPE, o grupo estava desesperado por dinheiro. “A Tatiana foi reconhecida pelas vítimas, então, ela participou dos assaltos. O sequestro foi comunicado falso mesmo. Eles estavam desesperados atrás de dinheiro, então, a situação é que eles estejam ligados diretamente ao tráfico de drogas”, explicou.

Elas seriam levadas ao Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (Ciac-Sul) para serem autuadas em flagrante por assalto e falsa comunicação à policia.