Reprodução Facebook

 

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) instaurou, nesta segunda-feira (19) procedimento para apurar se houve irregularidade na transferência dos irmãos Everton e Cleverson Vargas para a Delegacia de Matinhos, no Litoral. Os dois são acusados de matar a youtuber Isabelly Cristine Santos, de 14 anos.

De acordo com a Promotoria de Justiça de Pontal do Paraná a alegação sobre “questões de segurança” levantou a suspeita de privilégio indevido, “já que outros detentos, que estão inclusive há mais tempo na cadeia pública da cidade, continuam sendo mantidos pelo Estado em local inseguro, insalubre e interditado”. Além disso, durante a inspeção no local, a Promotoria verificou que não houve ameaça contra os irmãos, que inclusive ficavam em cela separada dos demais detentos.

Advogado de defesa dos irmãos Vargas, Cláudio Dalledone chegou a comentar em entrevista à Banda B no início da tarde que a transferência foi uma decisão acertada da polícia. “É muito frágil a Delegacia de Ipanema e há uma comoção pública. Então, por cautela, foi uma decisão acertada levar para Matinhos, que tem mais segurança e está ao lado do quartel da Polícia Militar”, disse.

Em 2016, a Justiça acolheu ação civil pública do MP-PR para que o Estado indicasse local adequado para a remoção de todos os detentos da cadeia pública de Pontal do Paraná, sob pena de pagamento de multa diária. O Estado do Paraná recorreu da decisão em segunda instância, que manteve a sentença de primeiro grau, e a situação ainda não foi resolvida.

Diante dos fatos, em 9 de fevereiro deste ano, a Promotoria de Justiça da comarca ingressou com execução provisória da sentença para obrigar o Estado do Paraná a cumprir aquilo que foi determinado pela sentença da ação civil pública: transferir todos os detentos da delegacia de Pontal do Paraná para estabelecimentos prisionais adequados.

Notícia Relacionada: