O crime da auxiliar de enfermagem, morta a tiros em um ponto de ônibus no Centro de Curitiba em abril de 2011, foi elucidado pela Delegacia de Homicídios (DH). O autor dos disparos será apresentado na tarde desta quarta-feira (24) à imprensa. A motivação do crime foi passional e o delegado da DH, Rubens Recalcatti, confirmou à Banda B que o assassino é o antigo companheiro dela. Josiane Sarnoski Conte, 27 anos, estava parada em um ponto de ônibus na Alameda Doutor Muricy quando foi baleada. Ela chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital Cajuru.

As investigações apontaram que a auxiliar de enfermagem estava sendo ameaçada por um homem e que, inclusive, Josiane já tinha registrado Boletins de Ocorrência contra o ex-companheiro dela. Eles viveram juntos por dois anos no bairro Cachoeira, em Almirante Tamandaré, e ele seria uma pessoa muito agressiva. Há meses estavam separados, segundo a família, mas ele tinha ciúmes de Josiane. A vítima trabalhava no Hospital e Maternidade Santa Brígida, no bairro Água Verde.

Crime

A jovem foi ferida por dois disparos de arma de fogo no ponto de ônibus da linha Manditituba, no Centro de Curitiba, entre a Visconde de Guarapuava e a André de Barros. Ela morava no bairro Areia Branca, em Mandirituba. Dois homens em uma motocicleta se aproximaram e efetuaram os disparos. Josiane chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital Cajuru.