Redação

Silva confessou crime e apontou à polícia onde desovou corpo da ex-namorada. Foto: AndreAlmenara

A modelo e pedagoga Jaqueline Valeze, de 21 anos, que estava desaparecida há dois dias em Iguaraçu, no norte do Paraná, foi encontrada morta em um canavial na tarde de ontem (18). O corpo da jovem tinha sinais de estrangulamento. O ex-namorado dela, Douglas Silva da Conceição, 23 anos, recém formado em Direito, confessou ter matado a garota, por não aceitar o fim do relacionamento. O namoro durou dez meses e o término havia acontecido há cerca de uma semana.

Jaqueline deixou um filho de três anos, de outro relacionamento. Foto: Reprodução Facebook

De acordo com o site de notícias André Almenara, a jovem saiu de casa na noite de quinta para encontrar o ex-namorado. Silva estava com o carro dele, um Golf de cor vermelha, e buscou a jovem próximo de casa. Para a polícia, ele contou que houve discussão e estrangulou Jaqueline. Em depoimento, ele contou que colocou o corpo da jovem no porta-malas e logo depois desovou em um canavial, quase limite com Astorga.

Ainda, Silva teria ido a um parque aquático no dia seguinte e procurado a família da jovem para dizer que iria auxiliá-los nas buscas por Jaqueline. Ele chegou a compartilhar uma mensagem de desaparecimento na rede social Facebook.

A família procurou a delegacia e apontou Silva como principal suspeito. Em uma abordagem ao carro do ex-namorado, a polícia encontrou cabelos loiros e terra no porta-malas. Ele confessou o crime e apontou onde teria jogado o corpo de Jaqueline. Silva foi preso por homicídio e ocultação de cadáver. O corpo da jovem foi removido para o IML de Maringá. A vítima deixa um filho de 3 anos, de outro relacionamento.

Douglas Silva da Conceição, 23 anos, era recém formado em Direito. Foto: Reprodução RPC