Da Redação

Arquivo Pessoal

Arquivo Pessoal

O médico Raphael Suss Marques, suspeito pela morte da fisiculturista Renata Muggiati, prestou depoimento na tarde desta sexta-feira (19), em audiência no Juizado da Violência Doméstica, em Curitiba. Essa é a primeira vez que o réu e as testemunhas prestam depoimento à Justiça. A partir destes depoimentos que será decidido se o acusado vai ou não a júri popular.

raphaelsuss

Foto: José Vilson/TV Bandeirantes

De acordo com o advogado da família de Muggiati, Cláudio Dalledone, todos os citados no inquérito policial foram chamados para a audiência. “O Marques tem direito a defesa de todos os depoimentos, uma vez que o caso é muito tumultuado. O advogado vai perguntar, o assistente de acusação vai reperguntar, o promotor vai questionar, tudo para que ele tenha direito ao contraditório. São informações que podem ser confirmadas ou não”, explicou.

No começo do mês, o Ministério Público do Paraná (MP-PR) chegou a pedir para que Marques passase a ser monitorado com tornozeleira eletrônica, mas o pedido foi negado pela Justiça. O pedido alegava que Marques estaria descumprindo medidas cautelares impostas para que fosse libertado, como voltar para a casa até às 21 horas. Segundo a decisão, o suspeito não tinha ciência da decisão.

Renata Muggiati morreu no dia 12 de setembro do ano passado após cair do 31° andar do prédio onde vivia. Inicialmente o caso foi tratado como suicídio, mas novos fatos apontaram para a possibilidade de um crime. No dia 25 do mesmo mês, a Justiça do Paraná decretou a prisão temporária do namorado da fisiculturista. O IML indicou que a morte de Renata aconteceu por asfixia e não pela queda.

Desde o início, Raphael nega as acusações. Porém, a Justiça recebeu em janeiro denúncia contra ele, que passou a ser réu no processo sobre a morte da modelo.

Notícia Relacionada:

http://www.bandab.com.br/jornalismo/mp-quer-tornozeleira-para-medico-acusado-de-matar-namorada-ele-foi-visto-em-churrascaria-depois-das-21h/