Peritos e a PM no local do crime – Foto: Banda b

Dois atentados em poucos meses. O mecânico Gildomar Cordeiro, de 47 anos, escapou da primeira tentativa de assassinato, mas não teve a mesma sorte na segunda vez. Na manhã desta quinta-feira (25), muito provavelmente a mesma pessoa que tentou matá-lo a tiros em novembro, voltou e, desta vez conseguiu tirar a vida do homem, pai de família, trabalhador e evangélico. No local, ninguém soube dizer à polícia porque Cordeiro foi morto.

O crime aconteceu por volta das 6h30, na Rua Marechal Hermes, bairro Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, Cordeiro estava no ponto de ônibus, a caminho do trabalho, quando um motociclista se aproximou e atirou três vezes. Ele morreu na hora com um tiro na cabeça, um no rosto e outro no pescoço.

Gildomar Cordeiro morreu na hora – Foto: Banda b

“Quando chegamos a vítima já estava em óbito. O filho dele veio aqui e nos contou que ele já tinha sido alvo de um atentado alguns meses atrás e sobreviveu. O filho disse que, daquela vez, quando ele foi socorrido, disse que não sabia porque fizeram aquilo com ele. Agora, novamente ele foi alvo de tiros e não resistiu. Todos aqui falam que era um homem trabalhador, evangélico e não incomodava ninguém. A Polícia Civil vai investigar o caso”, informou o subtenente Jair Padilha, do 17º Batalhão.

Segundo a PM, de acordo com testemunhas, a descrição do motociclista bate com as mesmas características física da pessoa que praticou o mesmo atentado em, novembro. Naquela ocasião, o mecânico estava dentro do carro, perto de um mercado, quando foi atingido por tiros. Ele sobreviveu.

A única hipótese levantada no local pela polícia, que ainda será investigada, é que haveria uma briga de herança na família, mas não há nenhum indício concreto até o momento de que esta seria a razão da execução.

A Delegacia de São José dos Pinhais investiga o homicídio.