Reprodução Facebook
Marido está muito abalado, disse delegado

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba apresentado na manhã desta quinta-feira (2) à Delegacia de Homicídios (DH) sobre a morte de Clemans Abujamra, de 51 anos, diz que ela foi ferida com 12 facadas concentradas na região do abdômen. Ainda, segundo o laudo, a vítima lutou com o assassino, já que possui facadas atrás da orelha, no pescoço e nos braços. “A pessoa que fez isso estava com muita raiva dela”, disse o delegado-geral da DH, Rubens Recalcatti, em entrevista à Banda B. O crime aconteceu na última segunda-feira (29). Clemans foi encontrada morta em frente a uma residência na rua Abrão Lerner.

O marido da vítima, o japonês Roberto Nanamura, prestou depoimento na DH na manhã de hoje acompanhado de outra pessoa. O casal vivia em Carolina do Norte, Estados Unidos, e vinha a Curitiba frequentemente. Segundo a polícia, ele era muito apaixonado pela mulher e diz não entender os fatos. “Ele está muito abalado”, disse Recalcatti.

Sobre a motivação do crime, a única informação passada pelo delegado é que um carro usado no crime foi visto saindo do local em que o corpo de Clemans foi encontrado, na Rua Abrão Lerner. “Este carro de fato foi visto e pode ser importante nas nossas investigações”, afirmou.

“Estamos trabalhando bastante e sabemos que pode ser uma coisa que fuja de tudo aquilo que já foi ventilado. Existem novos fatos e linhas que surgiram, mas não podemos divulgar para não atrapalhar as investigações”, afirmou o delegado, que primeiramente trabalhava apenas com a hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte).

O caso

Segundo a polícia, Clemans saiu da casa em que morava no bairro Bigorrilho, às 10h do último sábado, e não foi mais vista. O corpo dela foi encontrado na manhã de segunda-feira. Ela morreu com golpes de faca.