Redação

A Justiça reconsiderou e o pedido de liberdade dos 17 torcedores presos por envolvimento na briga durante o jogo entre Atlético-PR e Vasco, na Arena Joinville, em dezembro. Todos foram libertados nesta segunda-feira (20) por volta das 22 horas, inclusive o ex-vereador Juliano Borghetti. A decisão foi tomada pela juíza substituta da 1ª Vara Criminal, Luciana Malgarin. Os torcedores estavam detidos há um mês.

Foram revogadas as prisões de 17 torcedores: Diony Eduardo Carneiro Milleo, Guilherme dos Santos Bundim, Jorge Luis de Oliveira Junior, Márcio José Pondelek, Phillipe Martelletti Sampaio, Rafael Enrique Marçal, Rodrigo Augusto da Silva, Thiago Cardozo Salvadori, Thiago Paese Weber, Willian Batista da Silva, Agnaldo da Silva Reis, Daniel Gomes, Juliano Borguetti, Luiz Felipe Menegatti Pereira, Salatiel Dias Lima, Leonardo Rodrigo Borges e Gabriel Almeida Ziemer.

A juíza acatou o argumento da defesa dos torcedores de que a prisão não era necessária porque os presos se apresentaram à polícia voluntariamente. A decisão, porém, concede liberdade aos envolvidos na confusão em Joinville mas estabelece exigências. Duas horas antes de partidas do Atlético e do Vasco estes torcedores terão que se apresentar à polícia e permanecer no local até duas horas depois dos jogos. Todos também estão proibidos de deixar a cidade em que residem por mais de oito dias.

Já os três torcedores do Vasco detidos em Joinville não ganharam a liberdade. A juíza decidiu manter a prisão preventiva dos torcedores Thyago Almeida Rosa da Silva de Oliveira, Stevam Vieira da Silva, Ricardo Henk e Robson Moreira da Cruz.