O italiano Giovanni Rossi, de 27 anos, morto na Rua Emiliano Perneta, no Centro de Curitiba, na última quinta-feira (21), estava investigando um rombo financeiro em um dos condomínios que era sindico, de acordo com o delegado Rubens Recalcatti, da Delegacia de Homicídios de Curitiba (DH). Amanhã, o corpo dele será levado à localidade de Latina, próximo à Roma, na Itália, onde o jovem será sepultado.

Rossi morava há dois anos em Curitiba e estava junto com o irmão quando foi abordado por um indivíduo armado na Rua Emiliano Pernetta com a Lamenha Lins. Sem esboçar reação, ele levou um tiro na cabeça e morreu no Hospital Evangélico horas depois. A primeira hipótese era de um latrocínio (roubo seguido de morte), entretanto, Relcatti já descartou isto.

“Temos algumas linhas de investigação e passamos o último final de semana em um intenso trabalho para elucidar o caso. Esta questão do rombo no condomínio é um fato que chama a atenção e uma hipótese que não pode ser descartada. O corpo dele já foi liberado e o sepultamento acontecerá na cidade natal dele na Itália”, descreveu Recalcatti.

O suspeito de matar o italiano depois de cometer o crime embarcou em um Golf preto e não foi mais visto.