Da Redação com G1-PR

O marido da empresária Clemans Abujamra, de 51 anos, encontrada morta em abril, cobra das autoridades uma solução para o crime. Em entrevista ao G1-PR, Roberto Nanamura, pediu seriedade no caso, que até hoje não tem nenhum suspeito e o inquérito estaria desaparecido. Nem a Polícia Civil, nem o Ministério Público (MP) souberam informar onde se encontram os dados da investigação.

clemans-011013-bandab

Foto: Divulgação

Clemans foi vista pela última vez quando saía de um prédio no bairro Batel, de onde teria ido a pé para a casa da irmã. Em seguida, deveria ter ido a um salão de beleza, mas nunca chegou ao destino. O laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontava que a empresária havia sido morta com doze facadas. Na época o delegado responsável pelo caso, Rubens Recalcatti, não descartava motivo passional.

De dois meses para cá, data em que ocorreram as danças das cadeiras nos comandos das delegacias do Paraná, o caso ficou completamente parado. Na ocasião, a Delegacia de Homicídios (DH) de Curitiba enviou um pedido ao Ministério Público para prorrogar o prazo de conclusão do inquérito. O MP informou que devolveu os autos para a DH no dia 19 de agosto, mas a delegada responsável pela unidade, Maritza Haizi, afirma o caso ainda não chegou.