Denise Mello e Juliano Cunha

Um ônibus da empresa Guamirim foi destruído pelas chamas em um possível ato de vandalismo que aconteceu no final da noite desta quarta-feira (26), em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba. O veículo ficou completamente destruído, mas ninguém ficou ferido.

O coletivo estava próximo do ponto final do Jardim Libanópolis, na Rua João de Oliveira Filho, no Bairro Borda do Campo, quando um passageiro embarcou. Depois de alguns pontos, ele sacou uma arma, mandou todos que estavam dentro sair e ateou fogo.

“Dentro do ônibus estavam um passageiro, o motorista e o cobrador. Eles contaram que o homem tirou vários produtos incendiários de dentro de uma mochila e disse que era para todo mundo sair porque ele iria queimar tudo. Ele não pediu dinheiro nem nada, segundo os relatos. Em pouco tempo o ônibus ficou completamente destruído”, relatou o Tenente Cason, do 17° Batalhão da Polícia Militar.

A principal hipótese da polícia é de que tenha sido um ato isolado de vandalismo, ainda sem explicação. “Havia uma caminhonete branca que, ao que parece, estaria dando cobertura ao incendiário. A Polícia Civil esteve no local e vai abrir um inquérito para investigar o que aconteceu. Por enquanto, não há explicação para o incêndio, a não ser puro vandalismo”, completou o tenente.

A polícia pede ajuda da população. Quem tiver alguma informação sobre o atentado deve procurar a delegacia local ou ligar de forma anônima para o telefone 197.

Último caso

Em abril, um ônibus de transporte coletivo de São José dos Pinhais foi incendiado na Rua Pedrina Costa Vinski, no bairro Jardim Itália. Três homens que estavam em um carro branco barraram a passagem do veículo, mandaram os passageiros e o motorista descerem e atearam fogo no ônibus. Ninguém ficou ferido.

Dias depois, Claudinei Miranda Brites, 30 anos, foi detido no Hospital Evangélico, em Curitiba, com a perna queimada. Ele foi apontado como suspeito de ter ateado fogo no ônibus com o auxílio de dois parceiros.