Por Elizangela Jubanski e Antônio Nascimento

A Delegacia de Fazenda Rio Grande investiga um crime que aconteceu na madrugada deste sábado (14) em Manditituba, na região metropolitana de Curitiba, e tem indícios de motivação passional. Sílvio César de Souza Cunha, 46 anos, foi encontrado morto às margens da BR-116, na altura do quilômetro 146. Cunha foi vítima de espancamento. A suspeita é que a companheira dele tenha envolvimento no crime.

A família da vítima veio do estado de São Paulo para a liberação do corpo no Instituto Médico Legal de Curitiba na manhã de hoje (15). Eles afirmaram que a companheira de Cunha era usuária de drogas. O depoimento oficial deles será feito nesta segunda-feira.

De acordo com as investigações, a vítima namorava uma mulher que já tinha o ameaçado de morte. Após um rápido rompimento, o casal voltou a se encontrar e estavam morando juntos há cerca de semanas. Cunha teria feito um acerto na empresa onde trabalhava e estava para receber uma quantia em dinheiro referente ao tempo trabalhado.

Na madrugada de sábado, ela teria pedido à vítima, pouco depois da meia-noite, que saísse para comprar uma carteira de cigarro. No trajeto, ele foi espancado. A polícia suspeita que ela possa ter envolvimento no crime.

Cidade Industrial
Já na madrugada de hoje (15), um crime foi registrado na Cidade Industrial de Curitiba. Wilson Ribeiro de Souza, 35 anos, foi assassinado a tiros de revólver no portão de casa na Vila Nossa Senhora da Luz. O crime foi registrado às 2h40 na rua Stefan Rida. O perito Silvestre Ornelas, do Instituto de Criminalística, acredita ter mais de um atirador. “Pelas marcas, há pelo menos duas pessoas que atiraram contra a vítima”, disse.

A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso.