Robson Jesus Jordão, o “Robinho”, foi preso, na manhã desta quinta-feira (9), em Foz do Iguaçu, por policiais civis da 6.ª Subdivisão Policial. “Robinho” ficou conhecido nacionalmente em 2007, após roubar dois quadros avaliados em R$ 100 mil do Museu de Arte de São Paulo (Masp). A prisão de “Robinho” fez parte da Operação PC-27, desenvolvida em todo Brasil pelas polícias civis, como forma de comemorar o aniversário de 205 anos de fundação da primeira Polícia Civil do Brasil, a do Rio de janeiro, fundada em 10 de maio de 1808.

Polícia Civil

O que chama a tenção na prisão de “Robinho’, capturado com outros dois elementos suspeitos de tráfico de drogas, na Vila Portes, em Foz do Iguaçu, é que ele estava foragido da Penitenciária de Valparaíso, no interior de São Paulo, por ter furtado, ao lado de outros dois comparsas, os quadros “O Retrato de Suzanne Bloch” (1904), de Pablo Picasso, e “O Lavrador de Café” (1939), de Cândido Portinari, do Museu de Arte de São Paulo (Masp), na madrugada do dia 20 de dezembro de 2007.

Passados dezenove dias do assalto, “Robinho” foi preso pela Iterpol e os quadros recuperados. Ele foi condenado a nove anos e seis meses de prisão, tendo que cumprir pena em Valparaíso, mas fugiu, sendo agora recapturado por policiais civis de Foz do Iguaçu.