Da Polícia Civil

0909alagoas

(Divulgação Polícia Civil)

A Polícia Civil de Alagoas revelou detalhes, durante coletiva, na tarde desta sexta-feira (6), na sede da instituição, no bairro de Jacarecica, da operação que resultou na prisão de 11 pessoas e apreensão de uma adolescente, acusadas de tráfico de drogas e homicídios, inclusive no chamado caso Roberta Dias. O Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) da Polícia Civil do Paraná participou da Operação Penedo, realizando a prisão de Luiz Rogério da Silva, 47 anos, em Pérola, no interior do Paraná. Silva é acusado da morte da jovem Roberta Dias, em Penedo-Al, em 11 de abril de 2012, após receber R$ 30 mil de sua sogra.

A operação, que se concentrou na região de Penedo, foi realizada pela Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic) e pela Diretoria de Polícia Judiciária da Área 2, comandadas, respectivamente, pela delegada Ana Luiza Nogueira e pelo delegado Nilson Alcântara, e que teve participação direta do delegado Cícero Lima (coordenador da Delegacia de Homicídios da Capital).

De acordo com a delegada Ana Luíza Nogueira, entre os presos estão os policiais civis Gledson Oliveira da Silva, de 33 anos, Carlos Welber Cardoso, 34, e Carlos Bráulio Lopes Idalino, 38, conhecido como “Cobal”. Todos tiveram as prisões decretadas pela 17ª Vara Criminal por tráfico de drogas, e pelo juiz Antônio Barros, da Comarca de Penedo, por crimes de homicídio.

Na operação também foi preso o secretário de Comunicação de Penedo, Rafael Medeiros de França, de 35 anos, além de Janiel Moreira, 38 anos, conhecido como “Dido Som”; Rita de Cássia Soares Tavares, 40; Lucas Rafael Soares Tavares, 23, o “Eduardo ou Alma”; Maria de Fátima Santos, 38; Ubiratan Ferreira Batista, 43, o “Bira”; e José Roberto Medeiros Vasconcelos, 37 anos, conhecido como “Neguinho de Pedro Melo”. Uma adolescente de 16 anos também foi apreendida.

A delegada revelou que há cerca de 15 dias, um outro envolvido nos crimes – Luiz Rogério da Silva, 47 anos, foi localizado e preso na localidade de Pérola, interior do Estado do Paraná. “A prisão desta pessoa e seu interrogatório apressaram a realização dessa operação”, salientou a delegada, que agradeceu também a ajuda prestada pelo Cope (Centro de Operações Policiais Especiais), do Paraná, para a realização da prisão do acusado.

Sobre o caso Roberta Dias, a delegada informou que as investigações mostraram que ela foi realmente assassinada. Sua morte teria sido “encomendada” pela sogra identificada como Meirijane que já é tida como foragida e está sendo procurada pela polícia.

O motivo do crime seria a gravidez de Roberta que não era aceita pela acusada que desejava que ela fizesse um aborto. Como a jovem se negava, a sogra teria contratado o policial Bráulio Idalino a quem pagou R$ 30 mil para praticar o homicídio.

Roberta Dias, conforme as investigações, teria sido sequestrada e morta no dia 11 de abril do ano passado, crime que teve a participação também do policial Gledson Oliveira, “Dido Som” e de Luiz Rogério. Uma testemunha ocular do sequestro, Sérgio Bento, acabou sendo morta pelos criminosos da jovem.

O corpo de Roberta ainda não foi encontrado, mas a polícia informou que existem forte indícios para a sua localização. “Estamos diligenciando nesse sentido”, afirmou a delegada.

As investigações esclareceram também o assassinato do jovem Daniel Araújo Santos. Um dos acusados é o secretário de Comunicação de Penedo, Rafael Medeiros, que se encontra preso. Além dele, os policiais civis presos estariam envolvidos.

“Trata-se de uma organização criminosa que atuava em vários tipos de crimes na região de Penedo”, concluiu a delegada Ana Luíza Nogueira, que estava acompanhada durante a coletiva pelos delegados Cícero Lima e Nilson Alcântara.