Por Elizangela Jubanski e Antônio Nascimento

confusao-baileComerciante morto, esposa internada e atirador foragido. Foto: Geison Eduardo

Uma confusão em uma lanchonete no bairro Tatuquara, em Curitiba, terminou no assassinato de um comerciante no início da manhã deste domingo (16). Félis Smokovicz, 39 anos, dono da Lanchonete Recanto Campeiro, foi morto com um tiro no rosto por um cliente do local. O atirador disparou contra o dono da lanchonete após ver o homem espancando a esposa. “Cadê o machão que bate em mulher?”, perguntou o justiceiro, que está foragido.

O estabelecimento fica na rua Desembargador Ernani de Almeira Abreu, que também funciona aos fins de semana como um bailão. Na noite desse sábado (15), o comerciante resolveu levar a amante à festa, enquanto a esposa trabalhava no balcão, segundo a testemunha Elza Miranda.

“Esse cara estava há tempo de rolo com outra mulher. Ele trouxe a amante para o bailão e ficava levando chocolatinho, cigarrinho caro para ela, enquanto a mulher estava lá, trabalhando. Ele pisava na mulher dele, todo mundo sabia disso”, contou Elza.

Próximo das 5 horas, já no fim da festa, a esposa – que não será identificada – foi tomar satisfação com a amante, sentada em uma das mesas. Testemunhas afirmaram que elas chegaram a se agredir e uma teria se armado com uma garrafa. O comerciante, então, interveio na situação, segundo testemunhas, e agrediu a esposa com um soco.

“Em vez de ir a favor da mulher, tomou partido e começou a agredir a esposa na frente de todo mundo. Ele derrubou a mulher no chão. Os amigos tomaram a dor dela e de repente esse cara, que a gente nunca viu, tirou uma arma e perguntou onde estava o machão que bate em mulher. O dono do bar disse que ele ia morrer por ter chamado ele assim e deu nisso”, descreveu a testemunha.

O atirador efetuou dois disparos contra o teto e, logo em seguida, após as ameaças da vítima, atirou contra o comerciante, que morreu na hora com um ferimento no rosto. Houve tumulto no local e várias pessoas saíram correndo logo após os disparos. O justiceiro desconhecido fugiu e ainda não foi localizado. A esposa do comerciante teve ferimentos graves na cabeça foi socorrida por uma ambulância do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) e encaminhada ao Hospital do Trabalhador, no bairro Novo Mundo.

Policiais da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) estiveram no local. O corpo da vítima foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba.