Por Elizangela Jubanski e Juliano Cunha

O guarda municipal de Curitiba José Roberto Amorin, 42 anos, foi atropelado na noite desta quarta-feira (21) no Contorno Norte, em Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba, e não resistiu aos ferimentos. Ele estava acompanhado da esposa, que não teve ferimentos. Os dois passeavam com os cães da família. O veículo Fiat Tipo que atropelou o guarda prestou atendimento à vítima.

O atropelamento aconteceu por volta das 19 horas. José Roberto e a esposa tentavam atravessar o quilômetro 06 do Contorno Norte, no bairro Lamenha Grande, quando foi atropelado por um Fiat Tipo. A esposa dele não ficou ferida e o guarda chegou a ser socorrido pelo Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate). No entanto, não resistiu e morreu dentro da ambulância durante o trajeto até o Hospital Evangélico.

José Roberto trabalhava no módulo da rua Engenheiro Rebouças, em Curitiba, fazendo serviços administrativos. O supervisor Aparecido lamentou a morte do colega e disse que ele tentava adotar duas crianças junto com a esposa, com quem era casado há 13 anos. “Ele trabalhava diretamente com a gente porque atendia as ocorrências e entrava em contato com a gente da rua. Uma pessoa muito querida. Ele estava em processo de adoção de duas crianças, já que tinha a guarda provisória. Agora, essas crianças ficaram sem pai”, lamentou.

O corpo de José Roberto será velado da manhã de hoje na casa do guarda, em Almirante Tamandaré, e o enterro, de acordo com o supervisor da GM, está previsto para acontecer no Cemitério do Bonfim, em São José dos Pinhais.