A grávida seis meses que atirou contra a cabeça do marido, em Pinhais, região metropolitana de Curitiba, ao ouvir que tinha sido traída foi liberada pela Justiça. Rosana Alencar da Silva, de 31 anos, ganhou a liberdade na manhã desta sexta-feira (19) após passar dez dias na delegacia do município.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Fabio Amaro, o juiz autorizou a libertação devido a gestação de Rosana, que está grávida de 6 meses. Ela foi presa em flagrante dentro da residência da família, onde o crime aconteceu, logo depois do disparo que tirou a vida de José Arivilton Ferreira, de 39 anos. O crime aconteceu final da noite de terça-feira passada (9). A filha do casal, de 12 anos, estava em casa quando o homicídio aconteceu.

Juliano Cunha/Banda B
Rosana foi presa em flagrante

“A Justiça entendeu que ela não oferece perigo à sociedade. O fato de ela estar grávida pode ter contribuído”, disse o delegado Amaro. Rosana vai responder inquérito por homicídio em liberdade.

A confusão aconteceu na rua Santo Inácio, no bairro Emiliano Perneta, quando o marido confessou um caso extraconjugal à esposa. De acordo com depoimento à polícia, depois da confissão, o empresário entregou um revólver calibre 38 à mulher e disse que ela poderia fazer o que quisesse. Ela, então, atirou.

Depois de atirar contra o marido, a mulher permaneceu no local, ainda tentou reanimá-lo e disse que não sabia que a arma estava municiada. A cena, segundo os policiais, era trágica. A mulher estava debruçada sobre o marido, chorando e falava que tinha que pagar pelo crime. Familiares do casal chegavam à residência e diziam não acreditar no que havia acabado de acontecer. José Arivilton era sócio do irmão na fábrica de embalagens que fica próximo a casa dele.