Por Elizangela Jubanski e Danaê Bubalo

garoto

Adolescente morto em São José já tinha sido apreendido. Foto: DB/Banda B

Dois adolescentes de 14 e 15 anos foram assassinados na noite desta terça-feira (5) em municípios da região metropolitana de Curitiba. O primeiro caso aconteceu no bairro Rio Doce, em São José dos Pinhais. Gabriel dos Anjos, 14 anos, foi morto com seis tiros. Ele já tinha sido apreendido por porte ilegal de arma de fogo e também posse de drogas. O atirador não foi encontrado.

O crime aconteceu na rua Deputado Ernesto Mouro e os moradores ouviram disparos de arma de fogo por volta das 22 horas. A Polícia Militar (PM) foi acionada e encontrou o garoto morto no meio da rua. Gabriel já tinha sido apreendido por porte ilegal de arma de fogo e também posse de drogas.

Há informação de que o garoto estava na companhia do irmão mais velho quando foi atingido. Ele estava no local, mas não confirmou a versão à polícia. O Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) foi acionado, mas a vítima morreu na hora.“Ninguém se identificou como testemunhas e, então, temos poucas informações. Os familiares não contaram muita coisa e estão bem abalados”, contou a tenente Jéssica do 17º BPM.

O corpo do jovem foi recolhido ao Instituto Médico Legal (IML) Curitiba e a Delegacia de São José dos Pinhais investiga o caso.

Quatro Barras

A segunda vítima adolescente foi morta pouco tempo depois na rua Ana Andriata Mocelin, no bairro Borda do Campo, em Quatro Barras, também na região metropolitana de Curitiba. Dian Roberto de Amaral, 15 anos, foi morto ao lado de uma casa, que fica em frente à praça Daniel Mocelin.

Segundo informações da Polícia Militar, dois homens em uma motocicleta se aproximaram do garoto e efetuaram diversos disparos. Não houve discussão. Cinco atingiram o jovem, que morreu na hora. De acordo com o tenente Werner do 22º BPM, imagens das câmeras de segurança da Guarda Municipal (GM) de Quadro Barras filmaram o momento em que os atiradores fugiram do local em alta velocidade. “Nas filmagens dá pra ver os assassinos. Elas vão ajudar a polícia na identificação deles”, disse. Dian não tinha passagens pela polícia, mas seria usuário de drogas.

A Delegacia de Quatro Barras investiga o caso e o corpo do adolescente foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba.