Por Luiz Henrique de Oliveira e Djalma Malaquias

Um garçom 40 anos foi preso na noite desta quarta-feira (15) por abusar sexualmente de duas crianças de nove anos no restaurante em que trabalhava em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Ele agia de forma simples: convencia os pais das crianças e as levava para assistir televisão em uma sala anexa, onde cometia os abusos.

Garçom foi preso depois de imagens de câmeras de segurança confirmarem o abuso (Foto: Djalma Malaquias – Banda B)

De acordo com a delegada Tathiana Guzella, o suspeito agiu, ao menos duas vezes, da mesma forma. “O garçom aproveitava que os pais jantavam e convidava a criança para assistir televisão em um salão à parte, aberto ao público. Os pais eram convencidos e deixavam. Nesta sala acontecia o abuso, porque ele não tinha o conhecimento do funcionamento desta câmera de segurança e esperava não ser descoberto”, descreveu.

As imagens que foram entregues à polícia mostram como o garçom agia. “Ele se masturba com a criança e se esfrega nela. Tudo isso por cima da calça, até porque é um local aberto e ele poderia ser flagrado a qualquer momento. Este risco não o impedia de cometer os atos”, contou.

O caso veio à tona depois que os pais da menina abusada procuraram a delegacia na última sexta-feira. “Os pais da criança e o garçom foram chamados aqui para a delegacia, quando a menina apenas relatou que queria um beijo no rosto e o rapaz virou o rosto para receber um beijo na boca. Sabendo disso, o proprietário do restaurante viu as imagens das câmeras de segurança e viu o abuso. Ele imediatamente nos trouxe aqui o material”, relatou a delegada.

Com a repercussão do crime na cidade, outra família procurou a delegacia para relatar um abuso por parte do suspeito. “Esse caso aconteceu em novembro do ano passado. O relato da criança é exatamente idêntico ao da menina da semana passada. Agora, inclusive, esperamos que mais vítimas compareçam à delegacia ou liguem no 3753-2050”, concluiu Tathiana Guzella.

‘Estava só brincando’

Na delegacia, o garçom preso disse que não cometeu os abusos. “Eu só dei um abraço na menina e entenderam mal. Eu não tenho tara com crianças e não fiz nada”, afirmou ele, mesmo com as imagens que mostram o abuso.