Da Redação

dinamitedentroAção da madrugada aconteceu contra hipermercado no Bigorrilho (Foto: Bruno Henrique – Banda B)

A Polícia Civil prende suspeitos e diz que aperta o cerco contra a ‘Gangue da Dinamite’, mas isso não os impede de agir em Curitiba e região metropolitana. Ontem o alvo foi o caixa eletrônico de um hipermercado no Umbará, já nesta quarta-feira (19) a ação aconteceu contra outro caixa também em um hipermercado, mas desta vez no bairro Bigorrilho.

Os marginais chegaram em um carro escuro, pararam na Martin Afonso e detonaram a porta do Pão de Açucar. Lá dentro, explodiram o equipamento da Caixa Econômica Federal (CEF). Ninguém foi localizado e a Polícia Militar (PM) não quis gravar entrevista.

Nova prisão

Em entrevista à Banda B ontem, o delegado Luiz Alberto Cartaxo Moura, do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), afirmou que pediu a prisão preventiva para seis dos sete policiais militares acusados de explosões a caixas eletrônicos, que foram detidos na semana passada e já estão em liberdade.

“Já temos todos os elementos de prova que propiciem ao Ministério Público oferecer a denúncia comprovando a participação dessas pessoas nas explosões. Isso nos possibilita pedir a prisão preventiva dos 22 já presos e de mais 2 membros da quadrilha”, disse o delegado, que confirmou já estar com o inquérito policial do caso concluído.

Notícias Relacionadas:

Delegado diz que pedirá nova prisão de PMs acusados de explodir caixas eletrônicos

Policiais militares acusados de comandarem a Gangue da Dinamite são presos em Curitiba

Gangue da Dinamite age pelo segundo dia seguido e explode caixa dentro de hipermercado