Em apenas dez horas, seis pessoas foram assassinadas em Curitiba e região metropolitana. Das 20 horas desta quinta-feira (28) até as 6 horas desta sexta-feira santa (29), foram seis mortes e duas tentativas de homicídios em Rio Branco do Sul, Piraquara, Pinhais, São José dos Pinhais (duas mortes) e Curitiba.

A Banda B acompanhou a polícia em todas as ocorrências. Entre os mortos, foram cinco homens e uma mulher. Entre os feridos estão um homem e uma mulher, encaminhados para hospitais da região.

Foto: Antonio Nascimento/Banda B
Tiago Lima foi baleado com três tiros

São José dos Pinhais

Em São José dos Pinhais foram dois assassinatos. Por volta das 6 horas, moradores do Jardim Alvorada ouviram tiros e, em seguida, localizaram o corpo de Tiago Luiz Nicastro de Lima, de 20 anos. Ele foi baleado na Rua Sol Nascente, a cerca de 100 metros de onde morava. Tiago foi baleado com três tiros, sendo dois na cabeça e um na mão, o que mostra que ele ainda tentou se defender.. No local, ninguém soube dar informações sobre a motivação do crime.

Também em São José dos Pinhais, foi encontrado o corpo de um homem, ainda desconhecido, na Estrada da Saracura, Campo Largo da Roseira, zona rural do município. O corpo foi encontrado por volta das 21 horas com várias facadas. A vítima, um homem de aproximadamente 25 anos, quase foi degolada. Ele tinha uma tatuagem antebraço escrito “Cláudia mãe” e duas armas tatuadas no braço direito. O jovem vestia uma calça jeans e uma jaqueta do Atlético Paranaense. Não há pistas dos assassinos.

Morte na danceteria em Pinhais

Em Pinhais, por volta das 5h30, um jovem foi assassinado a tiros e uma jovem foi baleada e encaminhada ao hospital. Os dois conversavam em frente a danceteria Milenium, na Rua João Leopoldo Jacomel, quando um homem em uma moto vermelha se aproximou e atirou contra o casal. Mauricio Tafarel Gugelmin, de 23 anos, morreu na hora e a garota, não identificada, foi encaminhada para o Hospital Cajuru por pessoas que estavam no local.

Mauricio estava na danceteria com um grupo de amigos. No final da festa, ele resolveu sair e conversar com a garota do lado de fora, quando foi baleado e morto. A motivação do crime ainda é desconhecida.

Morte no Tatuquara

Em Curitiba, no Tatuquara, foi assassinado Hildo de Souza Cardoso, de 26 anos. Ele morreu com uma facada no pescoço na rua Antonio Sarot, por volta das 4h30. A polícia investiga se a morte tem liação com uma briga que ele se envolveu na semana passada no Clube Albatroz, na Linha Verde.

Também no Tatuquara, um homem foi encontrado baleado e foi socorrido pelo Siate até o Hospital Evangélico. Depois de ouvir tiros durante a noite, por volta das 20h30 desta quinta-feira, moradores da Rua Monsenhor Alfredo de Arruda Câmara, no Jardim da Ordem, encontraram Denis Fontes Alves, de 28 anos, caído na rua. Ele levou dois tiros, um no rosto e outro no peito, mas estava consciente no local. Como seu estado de saúde era grave, foi necessário uma ambulância com médico para auxiliar no atendimento.

O Cabo Alessandro, do Corpo de Bombeiros, comentou que mesmo conversando durante o transporte, a vítima não revelou quem teria atirado nem o motivo do crime. “A vítima estava consciente, agitada, mas não quis falar nada sobre o que houve. É uma vítima considerada grave porque a bala atingiu o tórax e a face”, contou o cabo À Banda B.

Suposta vingança em Rio Branco do Sul

Depois de uma discussão, um jovem de 31 anos foi assassinado a tiros no início da madrugada desta quinta-feira em Rio Branco do Sul. Wilson Gomes de Oliveira Neto levou um tiro na cabeça e morreu antes mesmo da chegada do Siate ao local. Um casal figura como principal suspeito do crime. De acordo com familiares, Wilson estava brigando com um homem na Rua Manoel Muller de Siqueira, em frente ao CAIC, Vila São Pedro, quando o casal se aproximou e foram ouvidos os disparos. Em seguida, todos fugiram a pé e a vítima permaneceu caída, a espera de socorro.

Elson Antônio de Oliveira, irmão da vítima, explicou que no passado, Wilson matou um homem no bairro por causa de uma mulher, que hoje era esposa dele, e por isso, a família acredita que o crime foi uma vingança “Chegaram me avisando que ele estava discutindo e apareceu o casal. Foi então que aconteceram os disparos. Tudo indica que foi vingança porque ele devia, já tinha matado uma pessoa lá atrás por causa de uma mulher. A gente avisava que era perigoso, mas era teimoso e acabou morrendo”, disse o irmão.

Morte em Piraquara

A sexta morte aconteceu em Piraquara. no Jardim Santa Monica. A funcionária do Hospital São Roque, Maria de Fatima Nunes Mendes, de 57 anos, foi espancada até a morte pela própria filha, de 22 anos, porque teria se recusado a dar dinheiro para ela comprar drogas. Camila Nunes Mendes foi presa em flagrante e, segundo a polícia, confessou ter matado a mãe com a ajuda de dois amigos. As filhas de Camila, de 3 e 5 anos, presenciaram tudo. A mais velha contou à polícia que a mãe matou a avó.