Da Redação

Teve início na tarde desta segunda-feira (5) a audiência de instrução dos 21 policiais acusados de tortura contra os suspeitos de estupro e assassinato da menina Tayná Adriane da Silva. Mas, em frente ao Fórum de Colombo, familiares, amigos e policiais demonstravam uma certeza comum: a de que os quatro primeiros apontados são realmente os responsáveis pelo crime.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

De acordo com a irmã de Tayná, Márcia da Silva, é impossível não pensar na jovem todos os dias e o sentimento único é de poder ver os quatro acusados presos. “Os quatro mataram ela, temos essa certeza. Foram os presos que torturaram eles após contarem o que aconteceu e esperamos que isso seja reconhecido”, disse.

Para um dos policiais presos, todos os eles estão tranqüilos com a audiência, pois sabem que os quatro realmente mataram Tayná. “Foram 108 dias de injustiça em que eu estive preso e eles continuam sob proteção da justiça. O que eu espero é poder voltar ao trabalho o mais rápido possível”, comentou.

A mãe Cleuza da Silva também já declarou anteriormente que acredita que os responsáveis pelo crime realmente são Adriano Batista, Sérgio Amorin da Silva Filho, Paulo Henrique Camargo Cunha, e Ezequiel Batista.

A expectativa é de que a audiência leve até 15 dias.